Cristiano Ronaldo está melhor do que no Real Madrid, diz médico

Desde que se apresentou à seleção portuguesa, Cristiano tem sido alvo de especulação sobre condição física

iG Minas Gerais | Folha Press |

Cristiano Ronaldo é a esperança portuguesa para conquistar a primeira vitória
AP Photo/Bernat Armangue
Cristiano Ronaldo é a esperança portuguesa para conquistar a primeira vitória

Cristiano Ronaldo está em melhor condição física do que quando chegou do Real Madrid, ao final da temporada, afirmou nesta terça-feira (24) o médico Henrique Jones, da FPF (Federação Portuguesa de Futebol).

Desde que se apresentou à seleção portuguesa, o melhor jogador do mundo é alvo de especulação constante devido à sua condição física. Com uma tendionose no joelho esquerdo, ele tem treinado e jogado com uma proteção no local e recorre a uma bolsa de gelo após as atividades físicas.

Cristiano Ronaldo jogou machucado a final da Champions League contra o Atlético de Madri e ficou parte da preparação portuguesa para a Copa do Mundo treinando separadamente, em Portugal e nos Estados Unidos.

"O Cristiano está bem melhor do que quando chegou aqui", disse Jones, em coletiva de imprensa no centro de treinamentos da Ponte Preta, em Campinas (a 93 km de SP), onde Portugal tem se preparado para os jogos da Copa do Mundo no Brasil.

"Estivemos a par de todos os exames médicos e treinos do Cristiano Ronaldo [no Real Madrid]", afirmou o médico da FPF. "Quando ele chegou a nós, sabíamos as condições que ele tinha."

Segundo Jones, o craque da seleção portuguesa se machucou no início de abril e por quase dois meses e meio não treinou no Real Madrid, só participava dos jogos. "Nunca o Cristiano esteve a treinar diariamente como treina aqui", ressaltou o médico. "Soltamos ele para o treino quando sabíamos que estava em condições para treinar."

"Os jogadores nunca estão a 100%, principalmente no fim da época [temporada]", afirmou Humberto Coelho, vice-presidente da FPF, que também participou da coletiva. "Há jogadores que fazem 60 a 70 jogos na temporada e obviamente não podem estar a 100%. O Cristiano jogou assim também no Real Madrid, não só agora."

Jones, no entanto, fez questão de ressaltar que a relação com o clube espanhol é boa. Para a Copa do Mundo, um fisioterapeuta do clube passou a fazer parte da comissão técnica portuguesa. "Temos uma relação de muita empatia e seriedade com o departamento médico do Real Madrid."

EXCESSO DE LESÕES

Henrique Jones foi bastante questionado sobre o número de jogadores lesionados -contra Gana, na quinta, Portugal não poderá contar com cinco jogadores.

"Tínhamos índices de suspensão lesional superiores a outras competições", afirmou Jones. "Os jogadores estão mais sobrecarregados que em outros anos. Para a metade ou dois terços deles, a época 2013/2014 foi muito sobrecarregada de lesões."

O lateral-esquerdo Fábio Coentrão, o goleiro Rui Patrício e o atacante Hugo Almeida se machucaram na derrota por 4 a 0 contra a Alemanha. No empate por 2 a 2 com os Estados Unidos, foi a vez do lateral-direito André Almeida (que jogou na esquerda, no lugar de Coentrão) e o atacante Hélder Postiga. Coentrão já deixou o elenco e retornou à Europa, devido a uma lesão mais grave, e os outros quatro jogadores treinaram separadamente do elenco nesta terça.

Nos quinze minutos abertos à imprensa, Paulo Bento pôde contar com apenas 18 jogadores. Enquanto eles alongavam e treinavam com bola, Rui Patrício, Hugo Almeida, André Almeida e Hélder Postiga caminhavam e corriam em volta do gramado principal e em um campo auxiliar. "Em caso de dúvida, iremos poupar esses atletas", disse o médico.

Segundo o médico, Coentrão, Rui Patrício e Hugo Almeida têm lesões reais e André Almeida, Hélder Postiga, Pepe e Raul Meireles, dores musculares.

"Um terço da equipa joga na Espanha. O núcleo duro dos nossos atletas jogam na Espanha", disse Jones. "Não é à toa que a Espanha vai para casa", afirmou o médico, referindo-se à eliminação ainda na primeira fase da atual campeã do mundo. "A sobrecarga competitiva é o principal motivo para a quantidade de lesões."

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave