Com pouca inspiração, Inglaterra e Costa Rica empatam no Mineirão

Com a igualdade no placar, a Costa Rica finalizou a primeira fase com o impressionante primeiro lugar do ‘grupo da morte’

iG Minas Gerais | Fernando Almeida |

Inglaterra e Costa Rica se enfrentam no Mineirão
Joao Godinho/O Tempo
Inglaterra e Costa Rica se enfrentam no Mineirão

Pouca luta e falta de inspiração. No embate entre a sensação Costa Rica e a eliminada Inglaterra, nesta terça-feira, no Mineirão, vontade e entrega dos atletas ficaram quase ausentes em campo. Com dribles improdutivos e apenas lapsos de boas jogadas, as duas equipes ficaram no insosso empate em 0 a 0, no Gigante da Pampulha.

Com a igualdade no placar, a Costa Rica finalizou a primeira fase com o impressionante primeiro lugar do ‘grupo da morte’ e espera agora os resultados das duas partidas da chave C para saber qual será o adversário das oitavas de final.

Fim de Copa melancólico para a seleção inglesa e a manutenção do sonho costa-riquenho em continuar espantando os amantes do futebol.

O jogo. Com um esquema ofensivo e a equipe recheada de juventude, a Inglaterra começou a partida abusando da velocidade e das jogadas individuais. Sturridge e Lallana eram os mais incisivos no ataque – o primeiro responsável por quase as finalizações do English Team no duelo –, enquanto a defesa inglesa se virava para segurar o insinuante Joel Campbell.

Além do atacante do Arsenal, a Costa Rica teve a seu favor a habilidade e visão de jogo de Bryan Ruiz, o típico camisa 10 que orquestra o meio campo de sua equipe. Contudo, a única boa chance dos Ticos no primeiro tempo veio dos pés de Celso Borges, em uma cobrança de falta aos 23 minutos; a bola explodiu no travessão depois do goleiro Foster desviar de leve a bola.

No lado inglês, Milner e Barkley foram crescendo de produtividade com o andar da partida, mas insistiram muito nas jogadas individuais e acabaram sendo presas fáceis para a compacta defesa dos Ticos.

A intensidade inglesa permaneceu no início da etapa final e Navas precisou agir. Em um ataque aos 12 min, Lallana ganhou em velocidade da defesa pela esquerda e cruzou rasteiro para a defesa do arqueiro costa-riquenho. Em outro lance de perigo, aos 19, o guarda-redes contou com a falha de finalização de Sturridge, após boa tabela com Milner.

O restante do confronto serviu para o técnico da Costa Rica, Jorge Pinto, manter o ritmo do titular Bolaños e para o comandante inglês, Roy Hogdson, acionar a promessa Sterling, de 19 anos, o veterano Steven Gerrard (34), e a estrela do time, Wayne Rooney.

Leia tudo sobre: Costa RicaInglaterramineirãoCopa do Mundo