Confronto entre Brasil e Chile já preocupa segurança da Copa

Organização acredita que jogos continentais exigem maior atenção para evitar incidentes entre os torcedores

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Depois de cumprir suspensão na estreia, Cruzeiro volta ao Mineirão na quinta e sexta rodadas antes da paralisação para a Copa
Lúcia Sebe/Imprensa MG
Depois de cumprir suspensão na estreia, Cruzeiro volta ao Mineirão na quinta e sexta rodadas antes da paralisação para a Copa

A organização da Copa do Mundo já começou a mostrar preocupação com o confronto entre Brasil e Chile, marcado para sábado, às 13h, em Belo Horizonte, pelas oitavas de final.

O COL (Comitê Organizador Local) admitiu nesta terça-feira (24) que possivelmente a partida precisará ter um reforço de segurança.

"Não é só Brasil x Chile, mas todos os jogos continentais com alguma rivalidade estão em avaliação", disse o diretor de comunicação do órgão, Saint-Clair Milesi.

O mata-mata será o primeiro encontro entre duas seleções sul-americanas no Mundial e envolverá o time anfitrião e a equipe do país que comprou mais de 40 mil ingressos para a competição.

Foi justamente a torcida da América do Sul que mais criou problemas de segurança na Copa.

O esquema de policiamento e vigias do Mundial precisou ser reforçado depois que cerca de 150 chilenos furaram os bloqueios e, sem ingresso, conseguiram invadir a sala de imprensa do Maracanã antes da partida contra a Espanha.

Já torcida brasileira se envolveu com algumas brigas com argentinos no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte.

Leia tudo sobre: BrasilChileCopa do MundoMineirãosegurançareforçooitavas de final