Ingleses fazem lista e avaliam realização da Copa no Brasil

De forma geral, os ingleses estão curtindo a competição e há pouca coisa para reclamar

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

A Copa do Mundo acabou mais cedo para os ingleses, com a eliminação precoce de sua seleção. Mas eles, definitivamente, não querem ir embora. E não irão. Primeiro, porque muito compraram ingressos para os jogos decisivos, segundo, porque gostaram do Brasil.

Anfitriões dos últimos Jogos Olímpicos, em 2012, os ingleses detém expertise em organizar e participar de eventos mundiais. Por isso, podem ser considerados um termômetro para avaliar a Copa do Mundo do Brasil.

Antes de a bola rolar para Costa Rica e Inglaterra, a reportagem de O TEMPO conversou com torcedores ingleses na tentativa de listar o que eles aprovam e o que eles desaprovam na estadia no Brasil, considerando deslocamentos, convivência com os brasileiros e experiência nos estádios.

De forma geral, os ingleses estão curtindo a competição e há pouca coisa para reclamar (veja abaixo cinco assuntos mais citados, positiva ou negativamente). “As praias, as pessoas, tudo está bom até agora. Nós não queremos voltar para casa”, lamentou o inglês Paul Watts, acompanhado da esposa Susan.

Sol, calor, mulheres bonitas e curtição são estereótipos brasileiros que mais agradam os ingleses. Situações pontuais como engarrafamentos, dificuldades de comunicação e dúvidas nos aeroportos entram na parte a se melhorar.

“Não tivemos muitos problemas. Mas tem muitas áreas pobres. As pessoas não sabem muito bem falar inglês. Mas deveríamos também tentar falar português. Todas são acessíveis, querendo ajudar”, ressalta a inglesa Francesca Gizzi que, junto com o namorado Max Heaton, já passou por Natal, Recife, Salvador e, agora, Belo Horizonte.

Tomando aquela cervejinha caminhando pela Fan Walk, os amigos Gary Bown e Nigel Rodgers observavam o Mineirão, mais um estádio visitado na Copa. Eles se disseram encantados com o clima e a oportunidade de conhecer novas culturas. “Estivemos em Manaus e passearam pela selva amazônica. Incrível!”, contaram.

O QUE GOSTARAM - Cerveja e pratos típicos - Hospitalidade e gentileza - Amizades e nova cultura - Praias e a Floresta Amazônica - Samba e curtição

O QUE NÃO GOSTARAM - Eliminação precoce - Dificuldades com a língua portuguesa - Pobreza brasileira - Aeroportos e trânsito - Burocracia

Leia tudo sobre: inglesesInglaterraCoparealizaçãoMundial