PSB fica mais perto de tucanos

Partido ainda não sabe se disputa governo com nome próprio ou se apoia Pimenta da Veiga

iG Minas Gerais | Larissa Arantes |

Resultado. Na convenção, no último sábado, ficou decidido que uma comissão vai definir a posição que o PSB de Minas vai adotar
FOTO: Breno Nunes/Divulgação
Resultado. Na convenção, no último sábado, ficou decidido que uma comissão vai definir a posição que o PSB de Minas vai adotar

A Executiva estadual do PSB e a comissão formada na convenção do partido no último sábado se reúnem hoje em Belo Horizonte para discutir os rumos da legenda na eleição de outubro. Na pauta do encontro, a possibilidade de lançar candidatura própria ou apoiar o pré-candidato tucano ao governo de Minas Gerais, Pimenta da Veiga. O PSB voltou a ser alvo de cobiça dos tucanos depois da convenção da legenda do último sábado.

O encontro do final de semana não proporcionou nenhuma conclusão e acabou delegando à Executiva estadual a decisão final. O ambientalista Apolo Heringer (PSB), que já havia colocado seu nome à disposição da sigla, acabou desistindo da disputa interna para ganhar a condição de candidato socialista ao Palácio Tiradentes.

O presidente do partido em Minas Gerais, deputado federal Júlio Delgado, evitou ontem confirmar que a legenda vai caminhar com o PSDB, caso a Executiva decida não lançar o nome dele ao governo do Estado.

“Vamos debater a aliança majoritária com outros partidos também”, ressaltou. Delgado contou que já está conversando com as lideranças do PSB sobre os próximos passos. “Já fiz os primeiros contatos, no próprio sábado e no domingo. Depois da reunião de amanhã (hoje), vamos levar para as lideranças do partido em Brasília o nosso debate”, afirmou.

A expectativa dos tucanos é a melhor possível sobre a aliança. “Estamos de porta abertas. Temos uma longa convivência. Não vemos motivos para romper a aliança”, destacou o presidente do PSDB no Estado, deputado federal Marcus Pestana, quando questionado se o apoio dos socialistas ao PSDB iria se concretizar.

O tucano disse que a sigla vai respeitar o processo de tomada de decisão do PSB, mas que “volta e meia os partidos têm conversas”. Pestana citou ainda a necessidade, já apontada pelos socialistas, de fortalecer a chapa proporcional para aumentar a bancada de deputados estaduais e federais. Mesmo sendo uma semana decisiva, o dirigente disse que “não seria correto ter uma ação mais agressiva” agora.

Detalhes. Pestana também evitou falar em conceder “mais espaço” ao PSB na aliança com o PSDB. Até o momento, foi oferecido aos socialistas a segunda suplência na chapa que vai concorrer ao Senado.

A composição tem, até o momento, o ex-governador Antonio Anastasia (PSDB) como pré-candidato ao Senado, o deputado federal Alexandre Silveira (PSD) deverá ser o primeiro suplente e a primeira-dama de Belo Horizonte, Regina Lacerda, filiada ao PSB, seria a segunda suplente de Anastasia.

Puxa voto

Jogo. O presidente do Atlético, Alexandre Kalil, é um dos integrantes da comissão que vai definir a posição do PSB. Kalil já registrou sua candidatura a deputado federal.

Nota da Rede

“A Rede Sustentabilidade sempre defendeu a construção de candidaturas estaduais que expressem claramente as propostas do projeto nacional, representado pela candidatura de Eduardo Campos e Marina Silva”

“Com esse objetivo, apresentamos o nome de Apolo Heringer Lisboa como contribuição para o debate e levado como alternativa à convenção do PSB em Minas Gerais”

“Apesar da desistência de Apolo Heringer, a Rede Sustentabilidade reafirma sua posição favorável à candidatura da aliança PSB e Rede em Minas Gerais e espera que essa decisão prevaleça no âmbito da comissão designada pela convenção do PSB”

Nota da Rede Sustentabilidade divulgada no domingo sobre a convenção

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave