Justiça retira páginas contra Fernando Pimentel do ar

PT aponta uma servidora da Prefeitura de Belo Horizonte como responsável pelo domínio

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Decisão. As páginas “Pimentel Destemperado” e “Ferrando Minas com Pimentel” foram tiradas do Facebook ontem por ordem judicial
Reprodução Facebbok
Decisão. As páginas “Pimentel Destemperado” e “Ferrando Minas com Pimentel” foram tiradas do Facebook ontem por ordem judicial

A Polícia Federal investiga a possível atuação orquestrada de um grupo na internet contra o pré-candidato do PT ao governo de Minas, Fernando Pimentel. Uma notícia-crime por injúria e difamação do petista questiona os autores de duas páginas do Facebook: “Ferrando Minas com Pimentel” e “Pimentel Destemperado”. Elas foram retiradas do ar ontem após uma decisão da Justiça Eleitoral. O caso é mais um exemplo de como a guerra na internet irá ditar o tom destas eleições.

As páginas foram criadas em fevereiro. Em 16 de maio, o juiz do Foro Eleitoral de Belo Horizonte Renato Luiz Fará ordenou que o material fosse retirado do ar, mas não notificou diretamente o Facebook. O PT recorreu e, ontem, a rede social restringiu o acesso ao conteúdo. Agora, as páginas só podem ser visualizadas pelos usuários que já haviam acessado e curtido.

Os publicitários e sócios da IGT Marketing, Cristiano Guimarães e Tomas Soares, dizem ser os autores do material. Segundo eles, essa é uma iniciativa individual. “Somos contra o PT e não queremos o partido em Minas. Só replicamos notícias que saem na mídia e charges. Este é um trabalho voluntário. Todo mundo tem o direito de exprimir sua opinião. Estamos sendo censurados”, reclama Guimarães.

Ele é filiado ao Solidariedade (SDD), partido da base do PSDB do pré-candidato ao governo de Minas Pimenta da Veiga. O publicitário, no entanto, diz “não ter nada a ver com o PSDB”. Soares não é filiado a nenhuma sigla.

O delegado federal responsável pelo caso, Hudson Fernandes Sousa, diz que já solicitou o rastreamento dos verdadeiros autores. “Vamos descobrir os criadores reais e não os aparentes criadores. Afirmar qualquer coisa neste momento é leviano. Não podemos confundir os direitos fundamentais de liberdade de expressão, mas também não podemos ser ingênuos e não suspeitar que haja uma intenção política de prejudicar um pré-candidato”, afirmou o delegado, que não descarta o envolvimento de outras pessoas. Entre elas estão Carlúcio Santos Carvalho, sobre quem a polícia ainda não tem informações, e Lucas Gontijo Guimarães, pai de Cristiano e ex-prefeito da cidade de Luz.

Indícios. Para o PT, o que leva a crer que se trata de uma ação política é o fato de nas duas páginas, o contato que aparece como o site oficial é o mesmo: “pimentelminas.com.br”. O domínio inativo, segundo o PT, pertence a ONG Igetec, que também seria responsável pelos endereços minascompimenta.com.br, soumaispimenta.com.br, umaluzparaofuturo.com.br e pimentanaveia.com.br.

A responsável pelos domínios, ainda de acordo com o PT, é Heliane Guadalupe Alves, mãe de Cristiano e funcionária comissionada da Prefeitura de Belo Horizonte. Nomeada em outubro como gerente nível 1-C, com salário de R$ 5.500, ela trabalha na regional Pampulha.

Heliane nega envolvimento com os fatos. “A ONG não existe há oito anos. Sou advogada, não atuo mais na política. Estão me confundindo porque tenho o sobrenome Guadalupe, o mesmo do Pedro Guadalupe (marqueteiro ligado ao PSDB)”.

Em nota, o PT informa que “recorrerá à Justiça sempre que atacado de forma apócrifa, por entender que o debate eleitoral deve se dar no campo das ideias, sem ataques pessoais e muito menos anônimos”.

Saiba mais

Curtidas. As páginas “Ferrando Minas com Pimentel” tinha até ontem 1.500 curtidas, e a “Pimentel Destemperado” registrou 2.500 curtidas, segundo os sócios Cristiano Guimarães e Tomas Soares.

TRE-MG. O Tribunal Regional Eleitoral analisa hoje 80 representações de diversos partidos contra propaganda eleitoral antecipada.

Decisão. O PT tem 15 decisões favoráveis na Justiça contra partidos ou ações apócrifas de campanha antecipada ou agressões na internet. Foro de BH. A partir de hoje, todos os casos em Minas suspeitos de propaganda eleitoral antecipada e crimes na internet serão investigadas pelo Foro de Belo Horizonte. A decisão será publicada hoje no Diário da Justiça.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave