Fantasma de 1950 continua a assombrar

Depois de 64 anos, a Inglaterra volta a disputar um jogo de Copa do Mundo em Belo Horizonte

iG Minas Gerais |

Darren Jenkins e Nick Goldstein (dir.) jogam com amigos na praça da liberdade na véspera do jogo entre Inglaterra e Costa Rica
UARLEN VALERIO / O TEMPO
Darren Jenkins e Nick Goldstein (dir.) jogam com amigos na praça da liberdade na véspera do jogo entre Inglaterra e Costa Rica

Depois de 64 anos, a Inglaterra volta a disputar um jogo de Copa do Mundo em Belo Horizonte, mas o sentimento de decepção não muda. A partida de hoje, às 13h, contra Costa Rica, no Mineirão, marca a despedida do English Team, que na Copa de 1950 também foi eliminada na primeira fase, graças a uma das maiores zebras da história dos Mundiais, ocorrida aqui, na capital mineira.

No dia 29 de junho de 1950, a seleção dos Estados Unidos, formada por jogadores amadores, venceu a Inglaterra, então um das favoritas, por 1 x 0 no Independência. Agora, na volta à capital mineira, os ingleses apenas vão cumprir tabela. O inglês David Sandearson, 60, não era nascido na época, mas se lembra bem das histórias que ouviu da zebra. “O Brasil não nos dá sorte. Tivemos uma derrota vergonhosa em 1950 e agora, 64 anos depois, saímos de forma frustrante”, lamentou.

O desempenho da equipe inglesa também decepcionou os mais jovens que desconheciam a derrota de 1950. “Foi inesperado, mas o time é jovem e estará melhor nas próximas Copas”, disse, esperançoso, o britânico Nick Goldstein, 21.

Bem recebidos. Apesar de, esportivamente, Belo Horizonte não trazer boas lembranças aos ingleses, pelo menos a hospitalidade mineira agradou.

“Belo Horizonte é bem melhor que São Paulo. Enquanto lá somos tratados com grosseira pelas pessoas, aqui todos foram muito gentis”, avaliou o inglês Peter Barker, 55, que apesar de tudo, espera ver ao menos uma vitória de honra amanhã.

Um sonho de princesa Com a visita de príncipe Harry, 29, a Belo Horizonte hoje, as torcedoras mineiras se empolgam e sonham alto com a oportunidade de ter o mesmo destino da plebeia Kate Middleton.

Apesar dos rumores de que ele anunciará um noivado em breve, durante sua visita ao Brasil, o caçula de Charles e Diana ainda está oficialmente solteiro. O jovem representante da família real desembarca na capital com a principal missão de apoiar os jogadores da seleção inglesa em seu jogo contra o time da Costa Rica, no Mineirão. Escoltado por 38 policiais federais, Harry também irá conhecer as instalações do Minas Tênis Clube, local que servirá como base de treinamento da equipe Olímpica e Paralímpica de seu país em 2016.

A esperança de que ele quebre os protocolos de sua agenda é grande entre as garotas que não descartam a possibilidade de habitar o Palácio de Buckingham. (Guilherme Ávila)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave