Show de Neymar

iG Minas Gerais |

No primeiro tempo, a seleção brasileira teve duas ótimas jogadas. A primeira, dar a bola para Neymar. A segunda, dar a bola para Neymar.  Como Camarões marcava muito à frente e deixava enormes espaços nas costas dos defensores, ficou muito fácil. David Luiz se transformou em um grande lançador, com excelentes passes longos, com a perna direita e com a esquerda. Por outro lado, Camarões, com velocidade e troca rápida de passes, geralmente nos espaços deixados pelos laterais brasileiros, fez um gol e poderia ter feito outros, assim como também o Brasil. No segundo tempo, além do show de Neymar, um espetáculo, entrou, no lugar de Paulinho, Fernandinho. Ele desarmou, trocou passes e ainda fez um belo gol. Tomou conta da posição. Luiz Gustavo fez mais uma ótima partida. Desarmou e ainda deu um excelente passe para Neymar, no primeiro gol.  Thiago Silva e Julio Cesar também foram bem, além de Marcelo, no apoio. Já os outros, pela facilidade da partida, deveriam ter jogado muito melhor. O Brasil vai enfrentar, novamente, o Chile nas oitavas de final. A avalanche chilena foi bloqueada pela forte defesa da Holanda. Vidal, melhor jogador chileno, fez muita falta. Em janeiro de 2010, estava de férias no Chile. Um taxista, encantado com sua seleção, na época, dirigida pelo Loco Bielsa, mestre do louco Jorge Sampaoli, disse que o Chile seria campeão na África do Sul.  Falei a ele que, provavelmente, a equipe chilena enfrentaria o Brasil nas oitavas de final e que, para o Brasil vencer, bastaria jogar bolas na área para os grandalhões, contra os baixinhos chilenos.  Assim, saiu o primeiro gol, ontem, da Holanda. O taxista não gostou. Tentei consertar, mas já era tarde. Foi o que aconteceu na Copa de 2010, repetindo 1998. As chances do Brasil agora são maiores, o que não significa que já está tudo definido nessas próximas partidas. A história conta o que ocorreu.  Na frente, continua tudo escuro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave