Há um tempo para todo propósito

iG Minas Gerais |

Existe um tipo de bambu chinês que demora anos e anos para crescer, porque, antes de brotar, primeiramente ele aprofunda suas raízes. Cada um possui um tempo de crescimento, para todo propósito há um tempo determinado. Como esse bambu, precisamos ter raízes profundas, firmadas em Deus, no pleno conhecimento da Sua Palavra, para que não venhamos a nos perder, tornando-nos como anões. O Salmo 92:12 diz: “O justo florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano”. O justo florescerá como a palmeira, seja nos desertos ou no oásis. É fácil para uma árvore crescer em lugares férteis, junto ao rio, onde há abundância, em terra fértil, mas a palmeira, a despeito de ter ou não rios, terreno favorável, cresce mesmo no deserto. O justo, você e eu, cresceremos como a palmeira, que cresce como o cedro no Líbano. O cedro tem raízes profundas, essas são quase do tamanho da sua copa. Quando olhamos a bandeira do Líbano, vemos exatamente o cedro do Líbano, forte, majestoso. Nossas raízes estão no Senhor e na Palavra de Deus. Nossa caminhada com o Senhor está descrita em Provérbios, capítulo 4, verso 18: “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito”. O dia perfeito é o dia na sua plenitude. Ao meio-dia, o sol está no seu zênite, não há sombra. Jesus é o sol da justiça, na vida dele não tem sombra, assim também é na nossa história. Não somos perfeitos, mas é um processo, a cada dia somos aperfeiçoados. Crescendo gradativamente, dia após dia no conhecimento de Deus e da Palavra. Temos que ver o nosso progresso, a cada dia dizer: “Eu vou crescer na fé, não vou ficar do mesmo tamanho”.  Na Palavra encontramos um homem que fez uma oração ousada. Jabez tinha um nome carregado de negativismo e pessimismo, pois nasceu com o estigma da dor e do sofrimento. Sua mãe chamou-lhe Jabez, dizendo: “Porque com dores o dei à luz” (1Cr 4.9). No entanto, diz a Palavra que Jabez foi mais ilustre do que seus irmãos. Era um menino fadado ao fracasso, destinado ao insucesso, um jovem sem esperança, discriminado, sem saída e sem perspectiva de vida. Ele poderia se conformar com todo tipo de sofrimento, a que pode-se dizer que estava destinado. Poderia pensar que seria mesmo um ninguém. Mas ele escolheu fazer uma oração que mudou toda a sua vida. Está em 1 Crônicas, capítulo 4, verso 10: “Jabez invocou o Deus de Israel dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido”.  Não podemos ter receio de fazer orações e súplicas ousadas como fez Jabez; ele disse: “Tomara que me abençoes”, e a vontade de Deus é nos abençoar. “Alargues as fronteiras” é a restituição de Deus na nossa vida. Ao fazer essa oração, Jabez pediu a Deus para avançar, crescer. E pediu mais: “Que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha a aflição. E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido”. Que a sua, a minha oração a cada dia sejam para crescer no conhecimento de Deus e da Sua Palavra, que possamos viver a cada dia olhando firmemente para Jesus, caminhando com o Autor e Consumador da fé, nos espelhando nele. Caminhemos pautando a nossa vida pela Palavra e experimentaremos a cada dia a plenitude da graça do Senhor. Deus os abençoe!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave