Interpol coloca tenente da aeronáutica em lista de desaparecidos

Segundo o irmão da militar, ele procurou a Organização Internacional de Polícia Criminal há cerca de 15 dias e enviou os dados dela

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Dados de Mirian, de seu veículo e fotos podem ser vistas no site da organização internacional
REPRODUÇÃO/INTERPOL.INT
Dados de Mirian, de seu veículo e fotos podem ser vistas no site da organização internacional

Após ser acionada pelos familiares da tenente da aeronáutica de Varginha, no Sul do Estado, Mirian Márcia Tavares, de 43 anos, que está desaparecida desde o dia 3 de maio, a Interpol, Organização Internacional de Polícia Criminal, emitiu um alerta de busca pela militar. Os dados, com foto e outras informações sobre a mulher, foram incluídos na "Difusão Amarela", lista que visa exatamente a localização de pessoas desaparecidas nos 190 países que fazem parte da organização.

"É muito importante, pois, com isso, ela está sendo procurada nos aeroportos, em todos os países que tem o convênio com a Interpol. Não quer dizer que eles vão atrás dela, mas a divulgação já é importante, principalmente porque não temos nenhuma pista dela até agora", afirma o irmão mais velho da militar, Técio Henrique Tavares, de 50 anos. 

O medo dos familiares é que, em surto, a mulher tenha saído sem rumos. "Por isso toda e qualquer divulgação são importantes, pode ser que ela foi para algum país, como Paraguai, ou Argentina, e só assim conseguiremos alcançá-la", garante Técio. 

O caso

Desde o seu desaparecimento, os familiares da tenente ainda não conseguiram nenhuma notícia sobre o seu paradeiro. "Nem mesmo o carro dela, um Fiat Pálio cinza, foi encontrado ou visto em algum lugar. A Delegacia Especializada em Localização de Pessoas Desaparecidas também está investigando o caso e, até o momento, não obteve qualquer resposta sobre o sumiço. 

No dia 3 de maio, Mirian saiu do apartamento deixando para trás roupas, objetos pessoais e celular. A mulher pegou apenas a carteira militar e a carteira de motorista. Ela deixou uma carta no imóvel em que, segundo a irmã Beatriz Rodrigues Tavares, escreveu que estava muito triste, mas não sabia o motivo. “Pensamos que ela pegaria a estrada para espairecer, como estava acostumada a fazer algumas vezes, e voltaria para casa, mas isso não aconteceu”, explicou Beatriz na época.

A mulher também teria depositado R$ 30 mil na conta da irmã antes de sumir.  Ainda conforme os familiares, a tenente apresentava um comportamento diferente  nos últimos meses. Na Páscoa, última vez que a militar esteve em Varginha para visitar os familiares, Beatriz notou que a irmã estava muito calada. Ela foi questionada se teria acontecido alguma coisa, mas disse que estava tudo bem. Mirian é uma pessoa muito reservada, e a família não tinha conhecimento de nenhum envolvimento amoroso da tenente.

Qualquer informação sobre o paradeiro da tenente pode ser comunicada à polícia por meio do 181. Não há necessidade de se identificar.