Holanda supera torcida chilena e fica em primeiro no Grupo B

Holandeses não deram chances ao Chile e garantiram a ponta do grupo B. Seleção chilena jogará em Belo Horizonte nas oitavas de final

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Netherlands' Leroy Fer (18) celebrates after scoring during the group B World Cup soccer match between the Netherlands and Chile at the Itaquerao Stadium in Sao Paulo, Brazil, Monday, June 23, 2014. (AP Photo/Thanassis Stavrakis)
Netherlands' Leroy Fer (18) celebrates after scoring during the group B World Cup soccer match between the Netherlands and Chile at the Itaquerao Stadium in Sao Paulo, Brazil, Monday, June 23, 2014. (AP Photo/Thanassis Stavrakis)

A Holanda jogou de laranja pela primeira vez nessa Copa, e os chilenos se vestiram de branco. Mas o Itaquerão foi mesmo dominado pelo vermelho.

O domínio dos sul-americanos, nítido no visual e nos gritos da torcida, não foi suficiente para evitar que a Holanda chegasse à sua terceira vitória nessa Copa.

Construído com dois gols de reservas, o resultado de 2 a 0 assegurou à seleção de Louis van Gaal o primeiro lugar de sua chave. Os chilenos, que já estavam classificados, ficaram com a segunda vaga.

Nas oitavas de final, um dos dois times enfrentará o Brasil, desde que a seleção brasileira confirme sua classificação na partida que começa às 17h desta segunda (23).

Se o Brasil ficar em primeiro, enfrentará o Chile, em Belo Horizonte, no sábado (28), contra o primeiro colocado do grupo brasileiro. O segundo colocado da chave brasileira terá pela frente a Holanda, no dia seguinte, em Fortaleza.

Na partida contra o Chile, o técnico Louis van Gaal escalou um time com cinco zagueiros, à semelhança do que fez na estreia com a Espanha –e diferentemente do que 4-3-3 que usou contra a Austrália, mais ofensivo e mais próximo à escola holandesa tradicional.

Sem Van Persie, suspenso, os holandeses encaixaram Lens no ataque e Kuyt na esquerda, puxando Blind para o meio da defesa.

O esquema mais defensivo entregou o controle de jogo para os chilenos. No primeiro tempo, a equipe teve 68% de posse de bola e completou quase quatro vezes mais passes que o adversário. Só que os holandeses finalizaram mais do que o dobro de vezes (7 a 3).

Dessas finalizações, a de jogada mais bonita envolveu uma das tradicionais arrancadas de Robben, que saiu do campo holandês, deixou Jara para trás, driblou Medel e chutou à esquerda do gol.

O segundo tempo foi bem mais animado do que o primeiro

Animado porque a torcida chilena pediu Valdivia - e conseguiu.

E também porque finalmente saíram os gols. O primeiro numa bola alçada pelo alto, que Fer completou de cabeça minutos após substituir Sneijder, que estava muito apagado em campo.

O segundo numa nova arracanda de Robben, desta vez pela esquerda. Levou até a linha de fundo e cruzou para outro jogador que estava no banco, Depay, marcar.

Muita gente não viu esse segundo gol. O Itaquerão já havia começado a esvaziar, provavelmente porque a parte brasileira da torcida queria chegar em tempo de ver o jogo do Brasil - assim como holandeses e chilenos deverão fazer com bastante atenção.

HOLANDA

Cillessen; Janmaat, De Vrij, Vlaar e Blind; Wijnaldum, De Jong e Sneijder (Fer); Lens (Depay), Robben e Kuyt (Kongolo). T.: Louis Van Gaal

CHILE Bravo; Medel, Francisco Silva (Valdivia) e Jara; Isla, Marcelo Díaz, Aránguiz, Gutiérrez (Beausejour) e Mena; Vargas (Pinilla) e Alexis Sánchez. T.: Jorge Sampaoli Estádio: Itaquerão, em São Paulo Árbitro: Bakary Gassama (Gâmbia) Gols: Fer, aos 31 min, e Depay aos 46 min do 2º tempo Cartões amarelos: Blind (H) e Francisco Silva (C)

Leia tudo sobre: FerRobbenChileValdíviaHolandaseleção chilenaseleção holandesaCopa do MundoItaquerãolíderGrupo B