Variante da ponte sobre rio Gualaxo é liberada para veículos de carga

Há 47 dias caminhões precisavam utilizar desvios para passar pela rodovia que liga a região Central à Zona da Mata

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Ponte ficou interditada por quase um mês após caminhão tanque explodir e abalar a estrutura
AMAPI / DIVULGAÇÃO
Ponte ficou interditada por quase um mês após caminhão tanque explodir e abalar a estrutura

Foi liberado, a partir das 15h desta segunda-feira (23), o tráfego para todos os tipos de veículos na variante da ponte sobre o rio Gualaxo, na MG-262, entre Mariana e Ponte Nova, na região Central do Estado. A ponte está interditada desde o dia 9 de maio, após um caminhão que transportava combustíveis explodir ao bater na proteção da ponte e cair no rio. A informação foi divulgada pelo Departamento de Estradas e Rodagens (DER/MG).

Com a explosão houve um deslocamento de 3,5 centímetros na estrutura da ponte, além de uma trinca no pilar central. Em breve terá início os reparos da estrutura original da ponte, sendo que ainda não há previsão de conclusão. Pela local passavam cerca de três mil veículos por dia, já que a rodovia é usada como ligação entre a região Central e a Zona da Mata. 

Ainda conforme o DER/MG, desde o dia seguinte ao acidente (10/05), os técnicos realizaram uma série de estudos, entre eles teste de carga, análise de ferragens expostas e danificações no concreto, em uma tentativa de manter a ponte em operação. No entanto, para garantir a segurança dos usuários foi feita a opção pela construção da variante enquanto é realizada a recuperação da ponte. 

O órgão afirma já ter definido o projeto de recuperação da ponte e está terminando de realizar os levantamentos quantitativos para a obra ser executada. A licitação foi dispensada devido a urgência e o impacto que a interdição está causado aos usuários.

O acidente

A batida aconteceu há 47 dias, sendo que a rodovia precisou ficar completamente interditada por 29 dias, quando a variante foi liberada inicialmente para veículos leves. A nova opção de passagem começou a ser construída no dia 22 de maio. 

O veículo que transportava óleo diesel e etanol bateu na proteção da ponte e explodiu antes mesmo de atingir o rio, conforme os levantamentos da perícia, já que as marcas de queimado começam na parte superior da ponte. Por o local se tratar de um declive, a suspeita inicial é de que o veículo tenha perdido o controle.

O Corpo de Bombeiros localizou o corpo do motorista do caminhão, Renato Rodrigues de Souza, 27, no dia 10 de maio. Segundo a corporação, o caminhoneiro estava em uma mata próximo ao local onde ocorreu o acidente. Parentes informaram aos militares que ele era morador do bairro Tirol, na região do Barreiro, em Belo Horizonte.