Cristiano Ronaldo diz que seleção é limitadíssima e nunca pensou no tí

Craque português garante que não falta vontade ao time, mas admite que chances de classificação são pequenas

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Cristiano Ronaldo é a esperança portuguesa para conquistar a primeira vitória
AP Photo/Bernat Armangue
Cristiano Ronaldo é a esperança portuguesa para conquistar a primeira vitória

Após empatar em 2 a 2 contra os Estados Unidos na noite de domingo (22) e ver a chance de classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo ficar muito complicada, Portugal também terá de lidar com a repercussão das declarações do seu maior craque. Cristiano Ronaldo disse à imprensa portuguesa após a partida em Manaus que a seleção é "limitadíssima", que nunca pensou que pudesse ser campeão do mundo e que a classificação é "quase impossível". "Temos uma equipe limitadíssima", disse o melhor jogador do mundo da atualidade. "Sem estar no melhor nível, não conseguimos competir com as equipes top", disse o português. "Seria mentir da minha parte se dissesse que éramos uma seleção top." Portugal tem apenas um ponto e quatro gols negativos de saldo em dois jogos e ocupa a lanterna do grupo G, atrás de Alemanha (quatro pontos e quatro gols positivos de saldo), Estados Unidos (quatro pontos e um gol de saldo) e Gana (um ponto e um gol negativo). Para se classificar, precisa ganhar de Gana por uma larga vantagem de gols e torcer para que o confronto entre Alemanha e Estados Unidos termine com um vitorioso e com goleada. Se empatarem, a "equipe das quinas" estará automaticamente eliminada, independentemente do jogo contra Gana. Cristiano Ronaldo afirmou que nunca pensou em conquistar o título -a melhor posição de Portugal em Copas do Mundo é um terceiro lugar, em 1966. "Nunca pensei que podia ser campeão do mundo, sinceramente. Temos que ser humildes e reconhecer a capacidade que temos." Apesar da sinceridade, o melhor do mundo afirmou que não faltou vontade, apesar da goleada de 4 a 0 sofrida para a Alemanha e o empate em 2 a 2 contra os Estados Unidos. "Obviamente que queríamos ganhar e tínhamos responsabilidades, os jogadores e toda a seleção", afirmou. "Demos o máximo, mas não conseguimos. Estamos frustrados e tristes."