Paulo Bento diz crer em jogo limpo entre EUA e Alemanha

Além de precisar vencer a Gana com goleada, Portugal depende de que o jogo entre EUA e Alemanha tenha um vencedor

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

undefined

Apesar do empate alcançado no último segundo de partida, o semblante do técnico de Portugal, Paulo Bento, era de derrota. O 2 a 2 com os EUA reduziram as chances de Portugal a uma combinação de resultados para conseguir avançar às oitavas de final do torneio. A nova má atuação de Cristiano Ronaldo, porém, não foi fundamental para o tropeço em Manaus, segundo o treinador. "Ele jogou os 90 minutos normalmente, não me parece que o resultado tem a ver com a situação de um ou outro jogador", disse. "Este é um momento extremamente delicado para todos. Não acredito que haja algum jogador mais triste do que outro. Há uma tristeza enorme. Perdemos a chance de continuar a depender apenas de nós mesmos", afirmou. Para se classificar, Portugal precisa tirar uma diferença no saldo de gols (-4, nos dois primeiros jogos) e torcer para que EUA e Alemanha não empatem. Em caso de igualdade entre alemães e americanos, ambos avançarão juntos às oitavas de final. Bento então foi questionado se acreditava nas palavras do técnico dos EUA, o alemão Jürgen Klinsmann, que minutos antes refutou a ideia de um "jogo entre compadres" na rodada decisiva. "Temos que olhar para dentro de casa apenas, fazer a nossa parte. Estou no futebol há dez anos como treinador, há 15 como jogador, e o que jamais farei é desconfiar de colegas de profissão", disse Bento. "EUA e Alemanha vão disputar um jogo normal, tentarão ganhar, e nós tentaremos fazer o mesmo que Gana. É a nossa obrigação."

Leia tudo sobre: Copa do Mundoportugalfutebol