BRT-Move chegará ao Mineirão depois da Copa

iG Minas Gerais |

Companheiros estrangeiros e de outros estados do país com quem estive sábado no Mineirão eram só elogios a Belo Horizonte, belo-horizontinos e a tudo que se refere ao receptivo para a Copa por aqui. Até o clima está na pauta dos fatores positivos apontados pelos colegas: temperatura média entre 20 e 25°C, sem chuva, sem umidade excessiva e onde tudo está funcionando bem, dentro e fora de campo. O BRT está superando as expectativas, e tomei conhecimento de uma boa nova: depois da Copa haverá um ponto bem próximo do Mineirão, perto do Mineirinho, evitando a caminhada de quase 500 m. O próprio prefeito Márcio Lacerda percebeu no local esta necessidade e já encomendou os estudos à BHTrans, cujos executivos, também, têm utilizado o novo sistema para ir ao Mineirão. O controle do tráfego em dias de jogos tem facilitado a vida de todos e quem está se utilizando dos serviços de táxis não tem nada a reclamar. Nem os taxistas. Depois do jogo de sábado, usei o táxi do Ronildo, que disse que está faturando bem, principalmente nos dias dos jogos, e que a única reclamação dele e dos colegas se refere à limitação dos espaços onde eles podem rodar; “um exagero”, disse.

Faz parte Nem o quebra pau que rolou entre brasileiros e argentinos, na Savassi, na madrugada de sexta para sábado foi motivo de críticas: “coisas que acontecem entre bebuns, em qualquer lugar a esta hora”, disse Juan Castro, espanhol do jornal Marca, experiente em Mundiais, Olimpíadas e Eurocopa. Castro ficou uma semana em Beagá, apesar de a Espanha estar concentrada em Curitiba.

Só os ex sabem Difícil explicar a um gringo a história do Itaquerão e os ex-presidentes Ricardo Teixeira (CBF) e Lula (República) nem aos jogos estão comparecendo, e só eles poderiam esclarecer. A maior reclamação de quem tem ido aos estádios nas 12 sedes se refere ao fim da comida nos bares antes dos jogos começarem. Bebida não falta. A Fifa não assume que a culpa é dos fornecedores dela.

Espanhóis de olho Juan Castro veio fazer reportagens sobre alguns jogadores chilenos e um mineiro: Lucas Silva, do Cruzeiro, que certamente está na mira de um grande espanhol, possivelmente de Madri. Um fato que nenhum estrangeiro consegue entender: o Maracanã não ter sido o palco da abertura da Copa e, em caso de alternativas, porque não o Mineirão ou o Mané? Futebol fraco Joguinho fraco entre Bélgica e Rússia, mas mesmo com o 1 a 0 conquistado nos últimos minutos, a vitória belga deixou felizes os “profetas” que apostam que eles surpreenderão. Foram dois triunfos seguidas, mas com futebol ruim. Neste jogo, contra a fraca Rússia, cujo técnico italiano Fábio Capello, prepara um time que não dê vexame daqui a quatro anos, na próxima Copa, na Rússia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave