Torcida feminina aprova as camisas ‘padrão Puma’

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

Modelo justinho também é adotado pela seleção da Itália
Antonio Calanni/ap photo
Modelo justinho também é adotado pela seleção da Itália

Quando os jogadores de algumas seleções entram em campo nesta Copa do Mundo, já é unanimidade, o que mais vem chamando a atenção principalmente das mulheres são as camisas coladas. Uma das mais comentadas, até agora, foi a da seleção de Gana. O modelo branco com recortes inusitados e com detalhes na gola – em formato em “V” – com as cores da bandeira africana foi exibido pela primeira vez durante o jogo contra os EUA, na última segunda-feira, e dividiu opiniões.

A turma da moda aprovou a camisa como uma das mais estilosas, mas ainda deixa margem para discutir a modelagem colada ao corpo. “Acho que nem todo atleta tem o corpo bonito para usá-la. Além disso, ela é muito justa e o calção é enorme, a proporção não ficou bacana. Na prática, parece que ela prende um pouco os movimentos”, explicou a estilista e figurinista Letânia Chaves. “A de Gana, particularmente, ficou bem bonita. A cor branca em dá um contraste lindo com a pele negra da maioria dos jogadores e o detalhe étnico na gola ficou muito bonito”, elogia.

Sexy. Por outro lado, tudo indica que as mulheres estão cada vez mais aprovando o novo modelo chamado “slim fit”, desenvolvido pela marca alemã Puma. “Quanto mais grudada a camisa, mais os músculos definidos dos jogadores ficam exibidos”, comenta a estudante Izabella Silva, que assistiu a partida do Uruguai, na quinta-feira, que também adota o mesmo padrão de uniforme. Além de Uruguai e Gana, as seleções de Costa do Marfim, Chile, Suíça, Argélia, Camarões e Itália estão nessa Copa com o modelo justinho de camisa que deixam os atletas com pegada de “super-herói”.

A maioria das seleções patrocinadas pela Puma são africanas. Isso tem “razões históricas”, diz Ulf Santjer, porta-voz da Puma. “Há 15 anos somos muito ativos no continente africano, onde atendemos dez equipes. “As seleções de Camarões, Argélia, Costa do Marfim e Gana classificaram-se para esta Copa.”

Além da estética. De acordo com a assessoria da Puma, o que deixa a camisa apertada, na realidade, é uma fita (chamada ACTV) que comprime certos músculos e ajuda a maximizar o desempenho, além de fornecer aos jogadores maior respirabilidade e liberdade de movimento. Os torcedores podem também comemorar, afinal, quanto mais justa a camisa, melhor para evitar o “agarra-agarra” do time alheio.

Camisa do Brasil As camisas da Nike, fornecedora do material da seleção brasileira não são tão justinhas quanto as da Puma. No entanto, também trazem tecnologias que auxiliam no conforto, como a PWR ACTV, que ajuda a maximizar a força muscular, e o Dri-Fit, que reduz a transpiração dos atletas. Segundo a Nike, além disso, nas regiões do corpo com maior nível de tensão, as áreas do peito, ombro e pernas ganharam mais resistência e elasticidade pra dar mais mobilidade e conforto aos atletas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave