“Se oferecer entrega imediata, é indício de golpe”

Alexandre Fadel Advogado Especialista em consórcios

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

Quais os cuidados que o consumidor deve ter quando procurar uma empresa para fazer um consórcio?  

Qualquer tipo de negócio requer cuidado. Há empresas sérias, que estão há muito tempo no mercado. Só que há também fraudes. O consumidor deve desconfiar quando as vantagens são excessivas na comparação com outras empresas. Se um vendedor oferecer entrega do bem de forma imediata ou em poucos dias, isso é indício de golpe. No consórcio, só há duas formas de conseguir o bem, que são o sorteio e o lance. Só que o seu lance deve ser maior que o dos demais, e você não sabe quanto os outros estão oferecendo. A pessoa tem que saber para quando quer o bem. Se ela tem urgência, há outras opções, como o financiamento. Se todo mundo que procurasse o consórcio quisesse para o mesmo mês, isso tornaria o consórcio inviável.

O que o consumidor deve fazer antes de decidir participar de um consórcio?

Além de buscar referências, o consumidor deve procurar no site do Banco Central se a empresa administradora está cadastrada e qual é a sua reputação. Ele também não deve se iludir pela aparência da loja. Os fraudadores, muitas vezes, apostam no visual para enganar as pessoas. Há casos que empresas são constituídas e cotas são vendidas. Só que, na verdade, a cota não passa apenas de papel, não existe, não vale nada. E essas empresas fecham as portas pouco tempo depois.

Quais as vantagens de um consórcio?

Uma das vantagens é que não tem cobrança de juros. O consumidor vai pagar uma taxa de administração, além de um seguro e um fundo de reserva. Só que a contemplação ocorre por sorteio ou lance. Assim, ele vai ter que esperar.

Como é feita a restituição do dinheiro se o consumidor decide sair do consórcio?

De duas formas. Uma é 30 dias após o encerramento do grupo. Outra é mediante sorteio. Ele para de contribuir e o dinheiro fica guardado. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave