Preleção de Felipão será para valorizar a qualidade de cada jogador

Treinador tem receio de cobranças exageradas afetarem o psicológico de seus comandados e prejudicarem o Brasil na disputa de seu jogo mais importante na Copa do Mundo até o momento

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro e Guilherme Guimarães |

O técnico Luiz Felipe Scolari trabalha a cabeça de seu grupo para sentir menos pressão no jogo contra Camarões
DOUGLAS MAGNO/O TEMPO
O técnico Luiz Felipe Scolari trabalha a cabeça de seu grupo para sentir menos pressão no jogo contra Camarões

BRASÍLIA. Diante de tanta pressão e cobranças após o empate com o México por 0 a 0, o técnico Luiz Felipe Scolari decidiu deixar os jogadores mais calmos para o duelo decisivo contra Camarões, que já não tem mais chance de classificação, mas pode atrapalhar a vida brasileira na busca pela vaga para as oitavas de final da Copa do Mundo.

O comandante da equipe canarinho fez uma reunião na noite desse domingo com toda a delegação no hotel e procurou deixar o clima mais leve, passando mensagens de confiança e ressaltando a qualidade de cada um dos seus comandados.

"Estamos desenvolvendo trabalho para que fiquem tranquilos. Uma reunião um pouco diferente, mostrando a eles nossa qualidade e as do adversário", disse Felipão.

Na opinião do treinador, a pressão existiria mesmo que a equipe já estivesse classificada para a etapa seguinte da Copa do Mundo, mas com uma outra conotação. 

"Mesmo se estivéssemos classificados existiria a expectativa para sabermos se seríamos primeiro ou segundo no grupo", disse o treinador.

Leia tudo sobre: FelipãopreleçãoBrasilseleção brasileiraCamarõesCopa do Mundo