Espanha e Austrália cumprem tabela na despedida da Copa

Duas equipes já estão eliminadas e jogam apenas pela honra na Arena da Baixada; campeã mundial vive crise depois das derrotas

iG Minas Gerais | Folhapress |

Vicente Del Bosque ainda não definiu equipe titular da seleção espanhola
Divulgação / Uefa
Vicente Del Bosque ainda não definiu equipe titular da seleção espanhola

A Espanha, atual campeã mundial, joga hoje apenas para cumprir tabela contra a Austrália, na Arena da Baixada, pela última rodada da fase de grupos da Copa. Sem nenhum ponto conquistado, ambas as equipes estão eliminadas da competição, mas ainda tentam se despedir da Copa com pelo menos uma vitória.

Apesar de estarem na mesma situação, a seleção espanhola – uma das favoritas para o título antes da Copa começar – ficou mais abatida pela eliminação precoce. Após estrear contra a Holanda, sofrendo uma surpreendente goleada por 5 a 1 no jogo que foi uma reedição da final da última Copa, a Espanha ainda perdeu para o Chile por 2 a 0 na segunda rodada.

Os espanhóis, que defendiam o título, voltam para casa derrotados e preocupados com o futuro dessa geração de jogadores – a mais vitoriosa da história do país. Xavi, 34, é um dos principais jogadores do time, mas, sem atuar em seu melhor nível, deve começar a partida contra a Austrália no banco de reservas. Para a próxima Copa, é improvável que jogadores experientes como o goleiro Casillas, o zagueiro Sérgio Ramos e os meio-campistas Xabi Alonso, Iniesta e o próprio Xavi ainda atuem pela seleção.

O técnico espanhol Vicente Del Bosque, que treinou o time nas conquistas da Copa do Mundo de 2010 e da Eurocopa de 2012, diz não saber se segue na direção da equipe após o fiasco deste Mundial. A tendência é que haja uma renovação do grupo espanhol.

Já a Austrália veio ao Brasil sabendo das dificuldades de conseguir se classificar no difícil grupo B, que, além da Espanha, ainda tem a Holanda – vice-campeã da última Copa – e o Chile, que costuma dificultar a vida dos adversários em Copas do Mundo. O atacante Tim Cahill, um dos maiores jogadores da história da equipe australiana e que se despede da seleção aos 34 anos, disse estar orgulhoso pelo desempenho apresentado, apesar dos maus resultados.

Na estreia, o time da Oceania perdeu para o Chile por 3 a 1 e, no segundo jogo, foi derrotado pela Holanda por 3 a 2, em uma partida bastante movimentada. Para Cahill, uma vitória sobre a Espanha seria um dos melhores momentos do futebol australiano, e é isso que eles buscam.

 “Eu penso em todos, e os jogadores só pensam neles”. Foi assim que o técnico Vicente Del Bosque desabafou na manhã de ontem em uma entrevista para TV Cuatro, da Espanha. A frase revela o estado de ânimos de um time que chegou ao Brasil para defender seu título mundial e saiu eliminado já no segundo jogo, após duas derrotas, uma delas por goleada. Os últimos dias de treinamento no Brasil não têm sido fáceis.

A equipe continua baseada em Curitiba, concentração que escolheu para a Copa. No sábado, Del Bosque teve uma discussão pública com o meia Fàbregas ao pedir que ele entregasse o uniforme de titular para o volante Xabi Alonso. Estrela do time na campanha vitoriosa na Eurocopa de 2012, Fàbregas pouco jogou nesta Copa e não escondeu sua insatisfação – deixou o campo de bicicleta. No mesmo treino, o zagueiro Piqué, que foi barrado na partida contra o Chile, entrou e logo saiu de campo. Após a derrota para o Chile, que definiu a desclassificação, Xabi Alonso disse que o time não soube manter a fome de vitória e foi logo contestado pelo meia Iniesta e pelo atacante Diego Costa.

Em ato contínuo, o lateral Arbeloa, que joga com Xabi Alonso no Real Madrid, saiu em defesa do companheiro: “Meu respeito e admiração por todos aqueles que preferem causar incômodo dizendo a verdade do que buscar admiração contando mentiras”.

Na Austrália, apesar do mau momento da rival, o discurso é de respeito e cautela. O técnico dos Socceroos, Ange Postecoglou, fez elogios ao adversário e reiterou o fato de que os espanhóis ainda são os atuais campeões do mundo. “Nós estamos muito motivados para este jogo. Vamos nos medir contra os melhores do mundo. Vamos ver o que acontece. Eu espero um time muito motivado por parte da Espanha. Não há melhor teste que este”, disse o treinador.

Leia tudo sobre: EspanhaAustráliaCopa do Mundo 2014