Ginásio poliesportivo se transforma em um 'verdadeiro lixão'

Um dia após o fim de um evento religioso no poliesportivo, espaço usado para o lazer da população, lixo não foi recolhido; responsáveis dizem que limpeza será feita na segunda (23)

iG Minas Gerais | Lisley Alvarenga |

Sujeira tomou conta da parte externa e interna do poliesportivo
Sujeira tomou conta da parte externa e interna do poliesportivo

Um dos principais espaços de lazer da população de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, e palco de grandes eventos esportivos, como o Mundial de Clubes de Vôlei, no ano passado, o Ginásio Poliesportivo Divino Ferreira Braga, localizado na região Central da cidade, se transformou ontem em um “verdadeiro lixão”. Isso porque, mesmo após a realização de um evento religioso para jovens no local, entre os dias 19 e 21 de junho, a prefeitura e os organizadores da festa não fizeram a coleta dos resíduos gerados.

Sacos de lixo acumulados, latas e garrafas de bebidas no chão e restos de comida foram o cenário de abandono e de sujeira encontrado pelas famílias que estiveram no local. “Sempre trago meus três filhos para brincar aqui e estranhei quando cheguei. Hoje (ontem) está um ambiente desagradável, não temos nem onde encostar. É um absurdo um espaço público de lazer ter se transformado em um lixão”, reclamou o motorista José Rubens Silva, de 40 anos.

Outro morador indignado com sujeira acumulada no ginásio é o funcionário público Harley Caetano, de 39 anos. Ele reivindicou a falta de estrutura do evento. “Não sou contra a festa, mas a prefeitura e os organizadores tinham que ter acordado antes quem iria cuidar da limpeza do local. O evento durou três dias, então, porque não programaram essa coleta de lixo? Essa situação é uma falta de respeito com o cidadão que usufruiu do espaço”, afirmou Caetano.

Além de reclamar da quantidade de lixo, o microempresário Gilberto Dias, de 42 anos, chamou a atenção para os moradores de rua que vivem no entorno do ginásio. “Todos os domingos, trago meu filho aqui para brincar e sempre me deparo com vários mendigos. Eles nunca mexeram com a gente, mas temo pela segurança das mães de família que vêm aqui. Além disso, eles bebem muito, quebram garrafas e as deixam jogadas no chão, um risco ao bem-estar das pessoas que vem aqui”.

Mais falhas

Outra problema identificado pela reportagem é que, apesar de na cidade existir a coleta seletiva, não foi encontrado no ginásio nenhum coletor para separar o lixo seco, do úmido.

Respostas

Por telefone, a assessoria do Confrajovem – evento que foi realizado pela Igreja Lagoinha, no ginásio poliesportivo – informou que “foi contratada uma empresa terceirizada para fazer a limpeza do espaço, porém, ficou acordado que ela seria feita somente na manhã de hoje”, declarou.

Já a assessoria da prefeitura informou que foi acordado com a produtora responsável pelo evento que o ginásio fosse entregue com tudo em ordem, porém a fiscalização só será feita hoje. “Uma equipe de limpeza urbana irá ao local na manhã de hoje para coletar o lixo acumulado”.

Quanto ao coletor de lixo, a prefeitura disse “que serão instaladas cerca de 2.600 lixeiras por toda a cidade”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave