'Não sei por que dizem que não jogamos bem', reclama Di María

Para o meia-atacante, os argentinos poderão mostrar mais futebol nas oitavas de final, porque, segundo ele, as equipes são melhores

iG Minas Gerais | Da redação |

Di María foi peça fundamental na final da Liga dos Campeões para a conquista do Real Madrid
Divulgação/Real Madrid
Di María foi peça fundamental na final da Liga dos Campeões para a conquista do Real Madrid

Ángel Di María ficou incomodado com as questões sobre o desempenho da Argentina até agora na Copa do Mundo. A respeito da vitória por 1 a 0 sobre o Irã, ele citou várias vezes a retranca armada pela equipe de Carlos Queiroz neste sábado (21), no Mineirão. A Argentina ganhou graças a gol de Messi aos 45 min do segundo tempo. São dois resultados positivos até agora da seleção no torneio. Mas apesar do ataque poderoso, o futebol não foi o esperado.

"Não sei porque dizem que não jogamos bem. Como expliquei e vou explicar novamente, contra 11 jogadores atrás da linha da bola, se você passa por um, tem outro atrás, é impossível jogar. Creio que fizemos as coisas muito bem e ganhamos, o que é o mais importante. Temos jogadores de qualidade para vencer os jogos", insistiu o meia-atacante.

Ele acredita que a tendência é que o time encontre mais espaços para jogar a partir das oitavas de final. Pelo raciocínio de Di María, a qualidade dos adversários melhora e, com isso, esses têm mais coragem para atacar e dar a chance para a Argentina também buscar os gols. Antes disso, o último adversário no Grupo F será a Nigéria, quarta (25), em Porto Alegre. A Argentina precisa apenas de um empate para ficar com a primeira colocação.

"Alejandro [Sabella] decide quem vai jogar. A Nigéria fez uma boa partida diante da Bósnia, venceu e vai vir 100% contra nós. Todo mundo quer estar em campo", completou, contemplando a possibilidade de o treinador poupar alguns titulares. E o fato de continuar como titular, para Di María, é a prova de que vem jogando bem. Ele chegou ao Mundial como campeão europeu pelo Real Madrid, mas não brilhou até agora pela seleção. "Creio que estou fazendo bem as coisas. Contra uma equipe muito atrás, tenho de jogar sempre em profundidade e complica um pouco mais Mas estou bem e por isso sigo jogando", finalizou.

Leia tudo sobre: ArgentinaOitavas de FinalBósnia