Nigerianos são barrados por tentativa de 'marketing de emboscada'

Cerca de 300 torcedores foram impedidos de entrar no estádio vestindo camisetas de duas empresas

iG Minas Gerais | Folha Press |

Cerca de 300 torcedores da Nigéria foram barrados neste sábado (21) ao tentar entrar na Arena Pantanal, em Cuiabá, vestindo camisetas, bonés e bandeiras de duas empresas -uma delas, uma ONG nigeriana. O estádio recebeu o jogo Nigéria x Bósnia.

Como nenhuma das duas firmas faz parte da lista oficial de patrocinadores, o ato foi enquadrado como ação de "marketing de emboscada".

Para entrar, os torcedores tiveram que se desfazer de todo o material de publicidade para não serem autuados pela Lei Geral da Copa (pena de 3 meses a 1 ano).

Uma das empresas identificadas é a ONG Tan (Transformation Embassadors of Nigeria), que atua, segundo a pagina oficial, "promovendo a governança" em seu país.

"Uma das empresas, quando viu que estávamos fiscalizando, deixou para entrar no segundo tempo do jogo, inclusive com instrumentos musicais, demonstrando o marketing de emboscada pelo 'modus operandi'. Porém, também foi impedida", disse a delegada de Defesa do Consumidor, Ana Cristina Feldner. A Fifa não apresentou queixa contra os torcedores.

Leia tudo sobre: nigerianosbarradosmarketing emboscadafifa