Falta comida no Castelão durante jogo da Alemanha

Torcedores reclamaram das grandes e lentas filas no estádio para, no final, saberem que faltava quase tudo que constava no cardápio

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

A cor verde-claro dos 63.903 mil assentos foi desenvolvida especificamente para o Castelão, com a intenção de lembrar as cores da bandeira do estado do Ceará
ERNESTO RODRIGUES/ESTADÃO CONTEÚDO - 27.1.2013
A cor verde-claro dos 63.903 mil assentos foi desenvolvida especificamente para o Castelão, com a intenção de lembrar as cores da bandeira do estado do Ceará

Faltou comida nas lanchonetes do Castelão neste sábado (21) durante o jogo Alemanha 2 x 2 Gana. Os únicos alimentos vendidos eram salgadinho, chocolate e amendoim. Apesar de constarem do cardápio, sanduíches, salgados e frios não estavam mais a venda no intervalo da partida. "Quando cheguei não tinha mais nada. Eles disseram que poderia encontrar em outro setor do estádio, mas teria que me deslocar muito e iria perder o início do segundo tempo. Tive que ficar com fome", disse o estudante paraense Rodrigo Lobato, 21. "Esperei quase 20 minutos na fila e só descobri que não tinha comida no caixa. Isso é revoltante. Não tinha ninguém para avisar. Vim sem almoçar com medo de perder o início do jogo, mas chegando aqui não tem comida. Incrível a desorganização", diz o engenheiro pernambucano Adriano Gouveia, 28. "Não sabem ganhar dinheiro. Quem é que vai lanchar chocolate? Amendoim? São loucos de achar isso", disse o equatoriano Edgar Guevara, 32. Segundo a coordenação da lanchonete, os alimentos se esgotaram no início do intervalo. Eles justificaram que a lanchonete foi aberta muito cedo e o estoque não suporta tanta demanda. O problema no fornecimento de alimentação durante os jogos vem se repetindo em outras partidas. Houve situações semelhantes, por exemplo, em lanchonetes nos dois jogos realizados até o momento no Itaquerão, em São Paulo (Brasil x Croácia e Uruguai x Inglaterra).

Leia tudo sobre: castelaoCopa do Mundoalimentocomidatorcida