Movimento dos sem-teto ocupa terreno nobre em SP

Cerca de 700 pessoas invadiram área próxima ao Morumbi

iG Minas Gerais |

Dimensão. Terreno ocupado pelo MTST em Vila Praia, em São Paulo, tem aproximadamente 200 mil m
Raquel Cunha/Folhapres
Dimensão. Terreno ocupado pelo MTST em Vila Praia, em São Paulo, tem aproximadamente 200 mil m

São Paulo. Cerca de 700 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) ocuparam na madrugada desse sábado um terreno próximo ao bairro do Morumbi, na zona Oeste de São Paulo. O terreno tem aproximadamente 200 mil m. Segundo o MTST, o objetivo é pressionar os vereadores de São Paulo a votarem o Plano Diretor da cidade, que está na Câmara Municipal há nove meses.

Segundo a Polícia Militar, o terreno fica na rua Luís Migliano, altura do número 1.800, em Vila Praia. Na estimativa da PM, somente 200 pessoas participam da ocupação.

“Essa ocupação é um protesto contra a demora na aprovação do Plano Diretor. Quanto mais os vereadores demorarem a votar, mais vamos ocupar”, prometia Ana Paula Ribeiro, uma das coordenadoras nacionais do MTST.

De acordo com nota divulgada pelo MTST, o terreno escolhido para a ocupação está localizado em uma das regiões de São Paulo de maior especulação imobiliária, tendo como consequência o aumento dos aluguéis e levando à expulsão de famílias inteiras para outros bairros com menos estrutura.

O MTST também ocupou, em maio, um terreno no bairro de Itaquera, na zona Leste, que passou a ser chamado de Copa do Povo. A ocupação fica próxima ao estádio do Itaquerão, onde aconteceu a abertura da Copa do Mundo.

O MTST tem pressionado os vereadores de São Paulo a aprovar a mudança do zoneamento de alguns dos terrenos invadidos, transformando-os em Zona Especial de Interesse Social (Zeis). Isso permitiria a inclusão em programas de construção de moradia popular. Os parlamentares já haviam se comprometido a fazer a alteração no terreno da ocupação Nova Palestina, em M’Boi Mirim, zona Sul, onde vivem cerca de 1.200l famílias.

Com relação ao terreno da Copa do Povo, ocupação onde vivem cerca de 4.000 famílias, os vereadores sugeriram que a mudança de zoneamento da área seja feita por meio de um projeto de lei independente. Atualmente, a área é considerada industrial. Após a mudança no tipo de uso do solo, o governo federal pretende incluir o terreno no programa “Minha Casa, Minha Vida”.

Às vésperas da abertura da Copa do Mundo, o MTST anunciou que fez um acordo com o Governo Federal para alterações no programa Minha Casa Minha Vida. De acordo com os coordenadores do movimento, ficou acertado que a União deverá construir moradias na ocupação Copa do Povo. Segundo informações divulgadas pela Secretaria Geral da Presidência, as regras do programa serão alteradas para atender às pessoas que vivem em “situação de coabitação” e têm “ônus excessivo do aluguel”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave