Técnico do Irã protesta contra não marcação de penalidade

Carlos Queiroz não poupou o árbitro sérvio e garante que sua decisão interferiu diretamente no resultado da partida

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

undefined

O gol de Messi no fim do jogo jogou por água abaixo a esperança do Irã de segurar a seleção argentina na segunda rodada da Copa do Mundo. Para o técnico Carlos Queiroz, do time asiático, dois foram os personagens do jogo: o autor do gol e o árbitro. “O Messi é um grande jogador e fez a diferença. Tivemos um pênalti claro a nosso favor não marcado. Pude rever o lance agora há pouco e o juiz estava a apenas cinco metros do lance. O que aconteceu não é aceitável. Ele não fez o que deveria”, afirmou o português após a partida. Sabendo do risco que corria pelas críticas feitas ao sérvio Milorad Mazic, Queiroz esperava não ser punido por tudo que disse. “Sei que é preciso ter cuidado, mas não estou dizendo nada além da verdade. Saio frustrado pelo que aconteceu, ele interferiu diretamente no resultado. Não seria a mesma coisa se ele tivesse assinalado a falta dentro da área”, protesta.