Uruguaios dominam praia em Natal tomando "chimarrão" com caipirinha

Mesmo sob um calor de 30 graus, uruguaios são vistos com a garrafa térmica embaixo do braço e o mate

iG Minas Gerais | FOLHA PRESS |

Céu azul, mar esverdeado, praia Celeste. Natal está dominada por uruguaios. Em Ponta Negra, principal praia urbana da capital potiguar, neste sábado, as cores do Uruguai predominavam nas barracas, amarradas em coqueiros ou penduradas nas varandas dos hotéis. A sede da Copa, que já viu a bagunça mexicana, as dezenas de milhares americanos e os fãs organizados (no melhor sentido) do Japão, agora recebe a mais orgulhosa das torcidas. Bonés, camisetas, faixas, bandeiras de todos os tamanhos. É fácil identificar a invasão celeste. Mesmo que o jogo da terça-feira (24) seja com a Azurra, com a vantagem do empate, o azul dos uruguaios domina até mesmo os números oficiais. São esperados cerca de 11 uruguaios em Natal. Já os italianos, mesmo com os que já vivem no Rio Grande do Norte, devem ser aproximadamente 5 mil. E na praia uma tradição uruguaia é mantida até mesmo sob o calor de 30 graus. Andando pela orla ou sentados à beira mar, lá estão os uruguaios com a garrafa térmica com água morna embaixo do braço e o mate. "É uma tradição. Nos dá energia", responde a uruguaia Gimena Rodríguez, 30. "É bom como beber caipirinha na praia", diz Esteban Arostegui, 35, mostrando a mesa com a cuia cheia de erva ao lado do copo de bebida tipicamente brasileira. O mate, que para os brasileiros é conhecido como chimarrão, é tomado durante todo o dia, independentemente do clima. Por isso mesmo, a cena se repete ao longo de toda faixa de areia: uruguaios, bandeiras, mate e caipirinha.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave