Bélgica descarta papel de protagonista na Copa

Seleção tenta fugir da responsabilidade de confirmar seu favoritismo no Grupo H

iG Minas Gerais | Folha Press |

Cotada desde o início da Copa para ser a sensação da competição, a Bélgica busca fugir da responsabilidade de confirmar seu favoritismo no Grupo H e na partida contra a Rússia neste domingo (22), às 13h, no Maracanã.

O zagueiro Kompany lembra que grandes seleções, como a Inglaterra, já foram eliminadas. Ao mesmo tempo em que times considerados mais fracos, como a Costa Rica, já garantiram a classificação. Por esse motivo, ele diz que a seleção belga não deve encarar a partida contra os russos como uma oportunidade de provar o valor da geração de ouro da Bélgica, após vitória apertada sobre a Argélia.

"Não vamos provar nada. Vamos provar com os resultados. Quais dos grandes países, como Espanha, Brasil, e Inglaterra, provaram? Me dê um exemplo, além da Alemanha, de equipes que demonstraram que são excelente e vão vencer a Copa. Os países devem estar focados em passar para a próxima fase. A opinião da imprensa internacional elogia o Chile, depois o Uruguai, depois a Colômbia... Há 20 países... A Bélgica é vista com potencial, mas só uma vai vencer a Copa", disse Kompany.

Composta por jogadores jovens que atuam em grandes equipes europeias, a Bélgica decepcionou na estreia. Venceu por 2 a 1 a Argélia tendo que virar o placar na etapa final da partida. Mas para o zagueiro, o resultado contra a equipe africana não deve ser desprezado. "Comparação entre Argélia e Rússia é um pouco difícil. Para mim, por definição, não podemos subestimar resultado contra a Argélia. São partidas completamente diferentes. Jogamos mais pelo lado esquerdo. Queríamos o resultado. Não cometemos nenhum erro, mas caímos em algumas armadilhas. O que aprendemos nessa Copa é que pode-se errar e continuar com autoconfiança", disse o zagueiro.

Kompany afirmou também que está recuperado da lesão na virilha que o deixou fora dos últimos treinamentos da seleção. Ele afirma que não tem problemas para enfrentar a Rússia e seguir atuando pela equipe na Copa.

O técnico Marc Wilmots também negou o favoritismo belga no confronto deste domingo (22). Para ele, a Rússia também tem essa responsabilidade no Grupo H.

"Favorita? Quando foi feito o sorteio, Rússia e Bélgica eram as duas favoritas, ainda que isso não queira dizer nada. Rússia e Coreia do Sul só têm um ponto. Vão ter que buscar o resultado", disse o treinador.

Wilmots destacou a boa campanha das equipes latino-americanas. Para ele, as seleções do continente mostram disciplina tática, entrega durante o jogo e muito entrosamento.

"Se lembrarem o que falei há seis meses, já indicava a Colômbia como uma das favoritas. Vemos seleções bem entrosadas com capacidade de contra-ataque impressionante. Eles suam a camisa ate a última gota", disse o treinador.

Leia tudo sobre: seleção belgaBélgicafavoritismogrupo H