Moradoras viram guias de turistas

Jovens aproveitam o Mundial para realizar projeto voluntário e apresentar a praça da Liberdade

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

Passeio pretende apresentar aos turistas prédios do entorno da praça
PEDRO GONTIJO / O TEMPO
Passeio pretende apresentar aos turistas prédios do entorno da praça

Belo Horizonte nunca foi como as cidades históricas de Minas, onde os turistas são recebidos por dezenas de guias oferecendo passeios. Mas, com a Copa do Mundo, um novo serviço começa a ser oferecido. É o “Walking Tours Belo Horizonte” (em português, “passeios a pé”), organizado por quatro moradoras da capital dispostas a apresentar a arquitetura e a história do Circuito Cultural Praça da Liberdade, na região Centro-Sul. Tudo isso em troca de experiência e novas amizades.

O panfleto de divulgação do trabalho já dá o recado: “Pague o que você quiser”. E, dessa forma, cada pessoa fica à vontade para fazer ou não a sua contribuição ao fim da visitação. Embora inéditos na capital, passeios voluntários oferecidos por nativos já são práticas comuns em outros países, como na Espanha e nos Estados Unidos. “É um projeto pessoal, que não tem o objetivo de ganhar dinheiro. O nosso ganho é cultural”, afirmou uma das organizadoras, Jéssica Passos, 23, recém-formada em arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O serviço é realizado também pela designer de produtos Iwana Raydan, 20, pela estudante de arquitetura Belisa Murta, 23, e pela designer de ambientes Viviane Okubo, 23. Todas falam ao menos dois idiomas, entre inglês, espanhol e alemão, e se dividem nas apresentações, de acordo com a língua dos participantes.

Elas contam que um trabalho semelhante chegou a ser oferecido por um arquiteto anos atrás, em Belo Horizonte, mas não tinha a mesma regularidade do Walking Tours, que tem data e horários fixos: às segundas, quartas e sextas, às 10h e às 16h. “São dias em que não há jogos da Copa no Mineirão, e os turistas estão pela cidade”, explicou Iwana.

Na prática. O serviço começou a ser oferecido na última quarta-feira, quando três canadenses e dois ingleses se interessaram em participar. Ontem, o horário da manhã não teve adesão, mas à tarde seis turistas compareceram, sendo três argentinos, um francês e dois brasileiros.

A reportagem acompanhou o passeio às 16h. Os argentinos ficaram sabendo do serviço por meio de panfletos entregues pelas organizadoras nos hotéis. Já o francês e os brasileiros fazem parte do círculo de amizades das jovens e aproveitaram para conhecer melhor o que há na praça.

“Passo quase todos os dias aqui e não conheço muita coisa”, disse o designer gráfico João Henrique Martins, 24. O passeio começa contando a história da própria praça e do Palácio da Liberdade, com curiosidades que prendem a atenção dos turistas. Com duração de cerca de uma hora, o grupo contorna a praça e para diante de cada um dos prédios históricos ao redor. “Foi bom que tive um panorama de tudo o que tem aqui, e quero voltar para visitar o Centro Cultural Banco do Brasil”, disse o químico argentino Germán Fernández, 33.

O urbanista francês Cyprier Legros, 23, também aprovou a iniciativa. “É um passeio agradável e com linguagem simples, fácil de entender”. Ele disse que gostou de Belo Horizonte como um todo. “É bem diferente da Europa, um pouco bagunçada, mas com um movimento e uma mistura muito dinâmica e interessante”, completou.

Saiba mais

Futuro. As idealizadoras do “Walking Tours Belo Horizonte” disseram que o projeto se estende até o fim da Copa e que há chance de ele ter continuidade também após o Mundial, com passeios em dias e horários marcados.

Guias. A Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) informou que não tem guias turísticos credenciados, mas tem seis Centros de Atendimento ao Turista (CATs), que oferecem informações diversas.

Ônibus. Desde o início da Copa, a cidade passou a contar também com uma linha de ônibus turística, a ST01 Circuito Turístico Centro-Sul, que passa por até 23 pontos de visitação em Belo Horizonte. O valor da passagem é R$ 4,35. Aos fins de semana, a rota inclui os Parques das Mangabeiras e da Serra do Curral.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave