Número de refugiados é o maior desde a 2ª Guerra

Afegãos, sírios e somalis são os que mais fogem de seus países

iG Minas Gerais |

Violência. Há mais de 400 mil refugiados iraquianos em todo o mundo, segundo as Nações Unidas
Uncredited
Violência. Há mais de 400 mil refugiados iraquianos em todo o mundo, segundo as Nações Unidas

 

BEIRUTE, Líbano. Até o fim de 2013, mais de 50 milhões de pessoas foram forçadas a deixar suas casas em todo o mundo, 6 milhões a mais do que no ano anterior, informou ontem a agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU). Esse é o maior número de deslocados desde a Segunda Guerra Mundial. O balanço inclui refugiados e requerentes de asilo que fugiram para o exterior, bem como pessoas deslocadas dentro de seus próprios países.

Os dados constam no relatório anual sobre as tendências globais da Agência da ONU para refugiados (Acnur), apresentado ontem em Beirute, na ocasião do Dia Mundial dos Refugiados. Os refugiados espalhados pelo mundo são superados em número pelos deslocados internos. A ONU estima que existam atualmente 33,3 milhões de pessoas que fugiram de suas casas, mas permaneceram dentro de seus próprios países.

O impressionante número é um reflexo de guerras e de perseguições sofridas por cidadãos em todo o mundo. Os conflitos na Síria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e República Centro-Africana contribuíram consideravelmente para o aumento. Somente a guerra civil síria forçou 9 milhões de pessoas a deixarem suas residências.

O Afeganistão ainda é responsável pelo maior número mundial de refugiados, e o vizinho Paquistão é o país que mais recebe deslocados, com uma estimativa de 1,6 milhão. Em todo o mundo, milhares de refugiados de crises quase esquecidas passam a melhor parte de suas vidas em campos.

SOLUÇÃO. De acordo com as Nações Unidas, os refugiados não devem ser repatriados à força e não devem voltar a menos que seja seguro fazê-lo e tenham um local para ficar. O alto comissário da ONU para os refugiados, Antonio Guterres, afirmou que o aumento representa um “desafio dramático” para organizações de ajuda.

“Tudo isso significa que não estamos diante de uma tendência de alta, mas de um salto abrupto do deslocamento forçado no mundo”, disse Guterres. “Os conflitos se multiplicam mais e mais e, ao mesmo tempo, conflitos antigos parecem não acabar nunca.”

Refugiados

51,2 mi pessoas tiveram que deixar seus lares durante 2013.

Relatório

Para onde vão. O Acnur contabilizou ainda 1,1 milhão de requerentes de asilo em 2013, 7% a mais do que no ano anterior, e a maioria deles em países ricos. Acolhimento. Os países em desenvolvimento abrigam 86% dos refugiados do mundo, enquanto os mais ricos acolhem apenas 14%. 

Futuro. Devido à crise síria, Líbano, Jordânia e Turquia mantiveram suas fronteiras abertas. O Líbano hospeda mais de 1 milhão de refugiados sírios. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave