Centrais sindicais irão debater projeto

iG Minas Gerais |

Brasília. O projeto de lei preparado pelo governo Dilma Rousseff que altera profundamente a área trabalhista federal será debatido pelas centrais sindicais com o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Especial da Presidência, na próxima terça-feira. Reunião entre Carvalho e dirigentes das sete maiores centrais do país está marcada no Palácio do Planalto para discussão de conjuntura política, e o projeto, que cria o Sistema Único do Trabalho (SUT) e altera a estrutura do Ministério do Trabalho, estará na pauta.

Segundo afirmaram líderes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), as mudanças propostas pelo governo e encaminhadas aos dirigentes na noite de quarta-feira serão discutidas pela primeira vez.

Além dessas entidades, participarão dirigentes da CGTB e da CSB, centrais menores que não recebem fatia do imposto sindical, mas têm ligações políticas fortes, respectivamente, com o PSB, de Eduardo Campos, e o PMDB, do vice-presidente Michel Temer. Juntas, as sete centrais têm mais de 6,8 milhões de trabalhadores filiados.

Surpresos. Embora o projeto tenha encontrado mais apoio do que críticas dos dirigentes sindicais, todos os líderes ouvidos disseram estar “surpresos” e “assustados” com a abrangência do projeto, que praticamente cria uma nova institucionalidade para a área, na estrutura federal.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave