Convenção não tem consenso

PSB faz encontro em Minas Gerais hoje e vai definir se Eduardo Campos terá palanque no Sudeste

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

Júlio Delgado, pré-candidato ao governo, apoiava aliança com o PSDB
[CREDITO]Lucio Bernardo / Câmara Dep. 29.4.2014
Júlio Delgado, pré-candidato ao governo, apoiava aliança com o PSDB

A convenção do PSB em Minas Gerais, marcada para hoje na sede do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas (Crea-MG), pode selar de vez o racha entre o partido e a Rede Sustentabilidade – idealizado pela ex-senadora Marina Silva e abrigado na estrutura socialista – no país. Dependendo da decisão pode, ainda, acabar com as chances do presidenciável Eduardo Campos (PSB) de ter palanque forte na região Sudeste, já que no Rio, o PSB se aliou ao PT e em São Paulo, ao PSDB.

Em Minas, a legenda se divide entre o apoio à candidatura de Pimenta da Veiga (PSDB) – tese defendida pela principal liderança do PSB no Estado, o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda –, ou o lançamento de uma candidatura própria.

Se a primeira opção for a tese vencedora na convenção de hoje, o PSB abre mão de ter um palanque para sustentar Campos em Minas. Situação semelhante já está consolidada em São Paulo e no Rio de Janeiro. Ontem, o PSB fechou aliança com PSDB e PT, garantindo uma vaga como vice de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo e o nome para a disputa ao Senado no Rio – o do deputado federal Romário na chapa encabeçada por Lindbergh Farias (PT) ao Palácio das Laranjeiras.

Caso o PSB mineiro opte pela candidatura própria, dois nomes são cogitados – o do ambientalista Apolo Heringer, ligado à Rede de Marina Silva, e o do deputado federal e presidente estadual da sigla, Júlio Delgado. Este último, ligado ao presidenciável Aécio Neves, apoiava a aliança com os tucanos no Estado.

Reclamando do que chamou de convenção de “cartas marcadas”, a Rede Sustentabilidade em Minas divulgou carta, na noite de ontem, em que abre mão de apresentar o nome de Apolo “e também de seguirmos juntos com o PSB nas eleições majoritárias de Minas Gerais”.

À reportagem, o ambientalista explicou que se trata de uma estratégia e que, caso Delgado retire seu nome em favor da aliança com os tucanos, ele volta a ser candidato. Mais cedo, Apolo reclamava que não foi informado sobre as regras da convenção. Segundo ele, militantes da Rede pediram para participar da comissão que organiza o encontro e Delgado, presidente do partido, não os atendeu.

Procurado pela reportagem, Júlio Delgado não atendeu às ligações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave