Argentina 'joga em casa' para superar Irã e convencer

Equipe de Messi contará com forte presença da torcida no Mineirão e nova vitória pode encaminhar a classificação no Grupo F

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro |

ESPORTES : BELO HORIZONTE - MG - OURO PRETO  . Acampamento de Argentinos em Bh .  

FOTOS: JOAO GODINHO / O TEMPO / 20.06.2014
JOAO GODINHO / O TEMPO
ESPORTES : BELO HORIZONTE - MG - OURO PRETO . Acampamento de Argentinos em Bh . FOTOS: JOAO GODINHO / O TEMPO / 20.06.2014

Como competição democrática, a Copa do Mundo possibilita duelos que colocam frente a frente equipes de níveis técnicos abismais. Como esporte imprevisível, o futebol permite que times inferiores vençam os grandes favoritos. É com essas duas linhas de pensamento que as seleções de Argentina e Irã se enfrentam nesse sábado, às 13h, no Mineirão, pela segunda rodada do grupo F da competição mundial.

De um lado, a albiceleste cheia de grandes nomes da atualidade, principalmente do meio para frente. Di María, Agüero, Higuaín e, principalmente, Messi, eleito quatro vezes seguidas o melhor jogador do mundo. Tudo leva a crer que esse quadrado sairá de campo vitorioso, mas o técnico Alejandro Sabella receita humildade e entrega durante toda a partida para confirmar dentro de campo esse favoritismo.

“São 90 minutos de futebol, que é o esporte mais imprevisível que se tem. Qualquer um pode ganhar. Temos que jogar, mostrar nossas forças e a capacidade de ganhar. Pensar que já ganhamos seria o maior dos pecados que poderíamos cometer. Temos que manter a concentração, a humildade do minuto zero ao 90. Não é um rival fraco, é uma partida de Copa do Mundo e não podemos subestimar ninguém. Não é discurso, é atitude na vida, como acho que tem que ser um time de futebol. Temos que jogar 100% o tempo inteiro”, disse o treinador.

O português Carlos Queiroz, que comanda um time sem nenhuma estrela, mas com muita vontade de surpreender, sabe que as duas seleções vivem realidades completamente diferentes neste Mundial, mas não abre mão de uma atuação digna de seus comandados. O treinador usa frases de efeito para passar confiança aos atletas.

“A primeira missão que nós temos é surpreender e superar a nós mesmos. Vamos enfrentar uma equipe que vem fazer outro Mundial, não o nosso. O deles é jogar para ganhar. Nós viemos para ganhar a taça da dignidade. Temos que tentar estar à altura para fazermos um jogo digno. Nenhum jogo está ganho, nem sempre os times melhores vencem, e nem sempre os piores perdem”, disse Queiroz.

Discursos à parte, qualquer resultado que não seja a vitória da Argentina será uma grande zebra que entrará para a história das Copas.

Leia tudo sobre: ArgentinaIrãCopa do Mundo 2014