Prefeitura do Rio antecipa fechamento de ruas

Primeiros bloqueios antes de Bélgica x Rússia estão marcados para as às 6h, sete horas antes da partida

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Maracanã recebe jogo entre Itália e México
Agência Brasil
Maracanã recebe jogo entre Itália e México

O fechamento das ruas no entorno do Maracanã será antecipado no domingo (22), dia em que jogam Bélgica x Rússia. A partida está marcada para as 13h. Os primeiros bloqueios começam às 6h, sete horas antes da partida; a segunda interdição será a partir das 7h, seis horas antes do jogo.

Nas duas partidas que já aconteceram no estádio, Argentina x Bósnia (no domingo, 15) e Chile x Espanha (quarta, 18), os bloqueios foram feitos seis horas e quatro horas antes dos jogos. Houve invasão por torcedores nos dois eventos.

O policiamento no entorno do Maracanã terá o reforço de 600 recrutas da Polícia Militar. Ainda em formação, os recrutas não passaram por nenhum curso preparatório para atuar em grandes eventos. Eles farão o bloqueio em 12 pontos do estádio, considerados frágeis, onde serão colocados grades. Não haverá reforço de policiamento nos portões de entrada de torcedores.

Torcedores têm se queixado de que nesses pontos vêm ocorrendo muitos furtos de ingressos. Também haverá mais seguranças privados no interior do estádio: serão 1.300 vigilantes. Nos dois jogos anteriores, foram 1.037.

Apesar das medidas para reforçar a segurança do estádio e impedir novas invasões, o subsecretário de Grandes Eventos do Rio, Roberto Alzir, disse que não há como impedir que pessoas, mesmo sem ingresso, queiram visitar o Maracanã. Segundo ele, isso só pode ser feito "em casos excepcionais". As duas invasões, por torcedores argentinos e chilenos, não foram casos excepcionais, na avaliação do subsecretário. "Foram pontuais", disse.

A Prefeitura do Rio decretou ainda que a quinta (25), quando Equador e França jogam às 17h, será feriado municipal. Anteriormente, o feriado seria apenas na parte da tarde.

Leia tudo sobre: prefeiturariomaracanãfurtosingressosjogobélgicarússiacopa do mundo