Técnico nigeriano lamenta atentado em seu país

Objetivo de Keshi é vencer Bósnia para ajudar a "colocar um sorriso no rosto" da Nigéria

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

O técnico da Nigéria, Stephen Keshi, lamentou o atentado à bomba ocorrido em seu país na última terça-feira e que matou ao menos 21 pessoas que assistiam a uma transmissão do jogo entre Brasil e México.

Em entrevista coletiva na Arena Pantanal, em Cuiabá-MT, Keshi disse que seus jogadores farão o possível para "colocar um sorriso no rosto" dos nigerianos na partida contra a Bósnia.

"Os nossos sentimentos estão com eles", disse o técnico, que comandou um treino de reconhecimento do gramado no início da noite.

Keshi admitiu que a fraca atuação no empate contra o Irã deixou os torcedores desapontados. "Os nigerianos querem ganhar sempre e gostam de um bom futebol. Contra o Irã, eles ficaram decepcionados, não com o empate, mas porque acharam que o desempenho não foi tão bom", disse.

Sobre o confronto com os europeus, o técnico lembrou que a maior parte de seus jogadores atua em times da Europa.

"A maioria joga na Inglaterra, na Espanha ou em vários lugares da Europa. Temos muitos talentos por lá. Então a vantagem é que estamos acostumados".

A respeito do fraco desempenho dos times africanos na Copa (uma vitória em sete jogos), Keshi reconheceu que a competição "não está indo muito bem" para as seleções do continente.

"Temos uma ou duas equipes que ainda podem fazer alguma coisa, mas, se você der uma olhada, não é apenas a África. O campeão do mundo já saiu também. Você tem que se preparar muito, senão é eliminado".