Após vitória sobre Itália, costarriquenhos fazem teste antidoping

Capitão da Costa Rica, Ruiz criticou número de atletas testados - foram sete de sua seleção

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Após a seleção da Costa Rica surpreender pela segunda vez nesta sexta-feira (20) ao vencer a Itália por 1 a 0 na Arena Pernambuco, sete atletas da equipe foram avaliados no exame antidoping.

O goleiro Keylor Navas, o volante Celso Borges, os meias Bryan Ruiz e Christian Bolaños, o atacante Marcos Ureña e dois reservas que não atuaram, Michael Barrantes e Diego Calvo, tiveram que fazer exame após a partida.

Pela Itália, apenas um jogador, o zagueiro Giorgio Chiellini, se submeteu ao teste. Capitão costa-riquenho e autor do gol, Ruiz criticou o número de atletas testados. "Me parece um pouco desagradável, mas não podemos fazer nada a respeito. Não temos nada a esconder", afirmou.

"Isso [a vitória] é resultado de que nos preparamos bem, sem nenhuma substância irregular. Talvez as pessoas não acreditem no que fizemos", disse o capitão.

No Twitter, o departamento de mídia da Fifa explicou que foram "dois jogadores testados como parte do procedimento normal após o jogo". "Cinco outros jogadores da Costa Rica efetuaram hoje controle antidoping rotineiro de pré-competição", acrescentou, se referindo a exames previstos para todas as seleções.

Este foi o segundo jogo e a segunda vitória da Costa Rica. No último sábado (14), a seleção venceu o Uruguai por 3 a 1, em Fortaleza.

O próximo adversário é a já eliminada Inglaterra na terça-feira (24), em Belo Horizonte.

CLIMA

Os jogadores italianos atribuíram a derrota para Costa Rica ao calor pernambucano durante o confronto iniciado às 13h.

"A Costa Rica, jogando neste clima, consegue dar mais intensidade. Não são todos, mas a maioria está acostumada a jogar neste clima", disse o volante brasileiro naturalizado italiano Thiago Motta. O zagueiro Giancarlo Gonzalez, da Costa Rica, discordou. "Não sei quantos graus [centígrados] fez hoje, mas tanto eles estavam cansados como nós", afirmou.

Leia tudo sobre: costa ricaitáliatestesantidopingbryan ruiz