'Os times respeitam mais quem termina em primeiro', diz Van Persie

Camisa 9 ironizou o fato de o Brasil jogar depois das partidas do grupo B, o que permite saber antes os cruzamentos nas oitavas

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Van Persie brincou com os filhos durante treino da Holanda
Alex de Jesus
Van Persie brincou com os filhos durante treino da Holanda

Suspenso por ter recebido dois cartões amarelos, o atacante holandês Robin van Persie afirmou que sua equipe deve buscar o primeiro lugar na partida contra o Chile, na segunda-feira (23), independente do adversário que virá do grupo A.

O camisa 9 ironizou o fato de o Brasil jogar depois das partidas do grupo B, o que permite saber antecipadamente os cruzamentos nas oitavas de final.

"O melhor é ser o primeiro do grupo. Tanto México, como Croácia e Brasil fizeram bons jogos, similares. Não tenho favorito. Mas ser primeiro é bom porque os demais times respeitam mais", afirmou o atacante, em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (20).

Ao comentar sobre o Brasil, o jogador disse considerar "interessante" o fato das partidas do grupo A serem realizadas após as do grupo B. O Brasil enfrenta Camarões na segunda-feira (23), às 17h, mesmo horário de México x Croácia. O jogo decisivo do grupo B, entre Holanda e Chile, ocorre às 13h.

Van Persie afirmou que as seleções estão cada vez mais se nivelando taticamente, já que todos se estudam o tempo todo. Essa é a razão, analisa o atacante, para os resultados surpreendentes, como a classificação antecipada da Costa Rica no grupo D, considerado o "grupo da morte", por contar com três ex-campeões mundiais (Itália, Inglaterra e Uruguai).

"Todos estão tentando roubar o melhor que há nos adversários. Não há lugar para se esconder. Por isso, os times melhoram a cada dia. Por isso, a Costa Rica pode surpreender. Eles não dormiram nesses últimos 20 anos. Eles estão se desenvolvendo. Por esse motivo, o futebol é um esporte adorado no mundo todo. É um esporte no qual o time pequeno pode vencer o grande", disse Van Persie.

Há dez anos no futebol inglês - atuando por Arsenal e, atualmente, pelo Manchester United -, o atacante lamentou a saída da Inglaterra da Copa. Ele diz ter visto boa parte das duas derrotas para Uruguai e Itália, ambas por 2 a 1. Van Persie diz que a equipe jogou bem, mas perdeu por detalhes. "Há uma linha muito tênue entre a vitória e a derrota. A Inglaterra jogou bem, mas não teve sorte", comentou.

Ele defendeu também o companheiro de equipe, Wayne Rooney, cobrado pela eliminação precoce da seleção. O atacante inglês marcou o primeiro gol em Copas na última partida, após dez jogos em três participações.

"Rooney sempre esteve sob muita pressão, desde que estreou em Copas. Ele não pode ser culpado. Jogou bem na nova posição, fazendo gol e dando assistência para outro. Ele é um jogador de classe mundial, um artilheiro e grande jogador", avaliou Van Persie.

Instado a falar sobre o futebol brasileiro, o atacante disse ter tido o primeiro contato através de um filme sobre Garrincha que viu no cinema quando criança.

"Era um jogador com movimentos rápidos e fazia muitos gols", disse ele, que também acompanhou a passagem de Clarence Seedorf pelo Botafogo.

TREINO

A Holanda fez, mais uma vez, um treino leve de menos de uma hora. O atacante Arjen Robben, o lateral Daley Blind e o volante Nigel de Jong treinaram em separado, fazendo apenas uma corrida leve em torno do gramado. Eles não preocupam para o jogo contra o Chile.

O zagueiro Bruno Martins Indi voltou a campo, mas não treinou. Ele se recupera do traumatismo craniano sofrido na partida contra a Austrália. Deve voltar às atividades na próxima semana.

Leia tudo sobre: timesvan persieholandabrasilconfrontosoitavasgruposcopa do mundomanchester united