França goleia Suíça, se redime com passado e coloca pé nas oitavas

Vitória francesa confirmou a fama da Arena Fonte Nova como a casa de "shows" deste Mundial

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

France's Mathieu Valbuena, right, celebrates scoring his side's third goal past Switzerland's goalkeeper Diego Benaglio during the group E World Cup soccer match between Switzerland and France at the Arena Fonte Nova in Salvador, Brazil, Friday, June 20, 2014. (AP Photo/Sergei Grits)
France's Mathieu Valbuena, right, celebrates scoring his side's third goal past Switzerland's goalkeeper Diego Benaglio during the group E World Cup soccer match between Switzerland and France at the Arena Fonte Nova in Salvador, Brazil, Friday, June 20, 2014. (AP Photo/Sergei Grits)

Salvador (BA). Renovação e nova mentalidade para esquecer o desastroso passado. Nesta sexta-feira, a França deu mais uma prova de que a revoltada e vexatória seleção de 2010 ficou apenas como um fragmento triste na história dos Bleus em Copa do Mundo. Com um futebol dinâmico e envolvente, os comandados de Didier Deschamps dominaram a Suíça e venceram por 5 a 2, na Arena Fonte Nova, o mesmo estádio que viu os shows de Holanda (5x1 contra a Espanha) e Alemanha (4x0 diante de Portugal).

Se em 2010, Franck Ribéry mostrava pouca vontade ao lado de Gourcuff – Anelka, Govou e Cissé também fizeram "suas partes" –, o destaque da partida desta sexta ficou para o trio de ataque dos Bleus. Além de infernizar o setor defensivo suíço, Benzema, Valbuena e Giroud – depois Pogba – ajudaram a roubar bolas pelo meio e impor o jogo veloz e eficiente da França.

Na próxima rodada, os Bleus encaram o Equador, às 17h de quarta-feira (25), no Maracanã, para sacramentar a liderança do grupo E. No mesmo dia e horário, a Suíça busca a vitória contra Honduras, na Arena Amazônia, para sonhar com a classificação.

O jogo. A barulhenta torcida francesa começou a ditar o ritmo de seus jogadores logo no começo da partida. Hino da nação azul e o tradicional "alê lê Bleus" eram entoados nas arquibancadas, enquanto os suíços já se assustavam com a inoperância helvética em campo.

O resultado em campo teve início aos 16 min com o gol de Giroud, que subiu entre Behrami e Lichtsteiner, e testou para abrir o placar. E o meia do Napoli mostrou que realmente não estava em um bom dia; errou o passe na saída de bola e viu Benzema partir para o ataque e acionar Matuidi, que chutou cruzado para fazer o segundo dos Bleus.

A Suíça continuava perdida em campo e via erros simples de seus astros Xhaka, Shaqiri e Inler. Do lado francês, Benzema fez o que quis. Viveu até um momento ruim na partida, quando perdeu um pênalti aos 31 minutos de jogo – com Cabaye falhando no rebote.

Mas quem se importa? Ainda no primeiro tempo, o camisa 10 iniciou o contra-ataque que terminou em gol de Valbuena. Na etapa final, a França manteve a pressão diante da atordoada Suíça, e Benzema mantinha o jogo sob domínio francês. O atacante do Real Madrid ainda fez o seu tento aos 22 min do segundo tempo e deu a assistência do gol de Sissoko aos 27. O placar elástico possibilitou a França relaxar na partida e ver a seleção helvética crescer no confronto e mostrar o ímpeto final visto contra o Equador. Dzemaili tirou o zero do marcador suíço em cobrança de falta e a dupla Inler/Xhaka entrou em ação com um belo gol aos 43 min da etapa final.

No último lance, Benzema ainda estufou as redes adversárias novamente, mas o juiz já havia apitado o fim do duelo. Com isto, a Arena Fonte Nova foi palco de mais uma goleada na Copa do Brasil. A Bahia é mesmo abençoada.

Leia tudo sobre: FrançafrançasuiçaSuíçacopa do mundogoleada