Franceses causam novo frisson na Arena Fonte Nova

Estádio de Salvador foi palco de três goleadas fantásticas nesta Copa do Mundo

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

Esportes - Clima torcedores antes da partida entre Suica e Franca que se enfrentam  pelo grupo E da Copa do Mundo 2014, na Arena Fonte Nova em Salvador BA. Na foto: Michel Dunkerque . Foto Alex de Jesus/O Tempo 20/06/2014
ALEX DE JESUS/O TEMPO
Esportes - Clima torcedores antes da partida entre Suica e Franca que se enfrentam pelo grupo E da Copa do Mundo 2014, na Arena Fonte Nova em Salvador BA. Na foto: Michel Dunkerque . Foto Alex de Jesus/O Tempo 20/06/2014

A primeira fase da Copa do Mundo nem acabou, mas cada estádio do torneio já é palco de grandes histórias. Exemplos claros são o Maracanã, que viu a eliminação da atual campeã, a Espanha, e o Castelão e a Arena Pernambuco, sedes da maior surpresa da competição, até agora, a ‘destruidora de gigantes’ Costa Rica. Mas quando se trata de placares ‘gordos’, a Arena Fonte Nova dá de goleada.

Após receber as vitórias avassaladoras de Holanda, sobre a Espanha, por 5 a 1, e Alemanha, em cima de Portugal, por 4 a 0, o campo de Salvador abrigou mais um massacre nesta sexta-feira. Desta vez, foi a França quem presenteou os torcedores com mais um resultado elástico e o duelo com mais gols anotados neste Mundial: 5 a 2.

Das cadeiras da Fonte Nova, os aficionados franceses se extasiavam com cada gol marcado pelos Bleus. Desde o primeiro minuto, eles protagonizaram uma festa impressionante.

Fantasiados, com as caras pintadas, portando uma gigante taça da Copa ou simplesmente trajando o uniforme de sua seleção, lá estavam os franceses, tomando boa parte da Fonte Nova e fazendo muito barulho. Antes de o primeiro tempo acabar, quando o placar já apontava 3 a 0 para a França, gritos de ‘olé’ eram entoados das cadeiras.

Já os suíços se desesperavam. Os torcedores helvéticos pareciam não acreditar no que estavam vendo. Era como um pesadelo. Só que com uma diferença: era real!

Muitos brasileiros aplaudiram a exibição dos Bleus. Outros, que fazem questão de não se esquecer das derrocadas para os franceses nas Copas de 1986, 1998 e 2006, fecharam a cara e esboçaram um canto de ‘eu sou brasileiro’. O futuro poderá dizer se a França veio ao Brasil para trazer mais tristezas ao povo tupiniquim.