Presidente ucraniano declara cessar-fogo unilateral

O anúncio foi feito durante um discurso para moradores da cidade de Svyatogorsk, região de Donetsk, que declarou independência do governo de Kiev

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

“Rei”. Em clima de “já ganhou”, Petro Poroshenko diz que vai administrar Ucrânia como suas empresas
Sergei Chuzavkov
“Rei”. Em clima de “já ganhou”, Petro Poroshenko diz que vai administrar Ucrânia como suas empresas

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, anunciou nesta sexta-feira que tropas ucranianas iniciarão um cessar-fogo unilateral de sete dias ainda nesta sexta-feira (20), o primeiro passo dos esforços para reduzir a intensidade do conflito com separatistas pró-Rússia no leste do país.

O anúncio foi feito durante um discurso para moradores da cidade de Svyatogorsk, região de Donetsk, que declarou independência do governo de Kiev.

"As forças da operação antiterrorista vão interromper as ações militares, o que começa hoje e vai até 27 de junho", disse Poroshenko, segundo o site do Ministério do Interior.

O presidente disse que o curto cessar-fogo deve ser a primeira etapa de seu plano para aliviar o conflito. Poroshenko afirmou que ele que dará aos separatistas tempo para baixarem suas armas e deixar o país e que a medida será seguida por negociações, novas eleições locais e um programa para a criação de empregos.

Ele advertiu, porém, que as forças do governo responderão caso sejam alvo de disparos durante este período. "As ações de combate serão apenas de caráter retaliatório se os rebeldes atacarem nossas forças", afirmou o presidente.

Sete soldados ucranianos foram mortos durante confrontos noturnos no leste do país durante um combate entre forças do governo de rebeldes. Vladislav Seleznev, porta-voz da forças ucranianas na região, disse que além dos mortos 30 militares ficaram feridos no combate perto da vila de Yampil, na região de Donetsk.

Um repórter da Associated Press viu combatentes pró-Rússia movendo uma coluna com dois tanques e três veículos blindados perto da cidade de Yanakiyeve, na direção de Horlivka, também na região separatistas de Donetsk.

Os tanques tinham pequenas bandeiras da milícia pró-Rússia, mas nenhum outro sinal. Os combatentes negaram-se a dizer para onde estavam indo e afirmaram se tratar de uma "operação secreta".

Poroshenko discutiu na quinta-feira os detalhes de seu plano de paz, pelo telefone, com o presidente russo Vladimir Putin. Seu escritório disse que ele enfatizou a necessidade da introdução de efetivos controles de fronteira e da rápida libertação de reféns sequestrados pelos rebeldes.

O presidente ucraniano disse que além do cessar-fogo o plano inclui anistia para combatentes pró-Rússia que não tiverem cometido crimes graves, um corredor para combatentes russos saírem do país, patrulhas de segurança conjuntas e eleições parlamentares e proteção para o uso da língua russa.

Líderes rebeldes rejeitaram o plano e é preciso esperar para ver até que ponto ele será cumprido. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave