A voz Celeste

iG Minas Gerais |

Há muito tempo venho falando que o Chile iria passar para as oitavas. Desde que fecharam a hospedagem na Toca da Raposa II, com o maior de Minas, os chilenos conseguiram absorver ao menos alguma coisa do bom futebol e dos caminhos aos títulos. A maior decepção da Copa, sem duvida, é a campeã Espanha, que caiu na primeira fase: fez só duas partidas e já foi eliminada. A maior surpresa é a vitória da Costa Rica em cima do Uruguai. Para mim, a classificação do Chile não foi surpresa alguma. Os espanhóis estão com um futebol ultrapassado e têm no grupo nove jogadores acima de 30 anos. Isso, no final de uma temporada, depois de disputados mais de 50 jogos, faz uma grande diferença. Que venha a Holanda ou o Chile, pois nesses jogos o Brasil cresce, e os adversários sentem o peso da camisa amarela. Vamos rumo ao hexa! Neymar e companhia vão escrever seus nomes na história das Copas!  A voz da Massa Saudações alvinegras! O atacante Neto Berola está de saída do Galo, mas diferentemente do que estão noticiando por aí, ele não deverá ir definitivamente para o Botafogo (RJ), e sim seguir, por empréstimo, para um time do Catar, provavelmente o Al Gharafa, ex-equipe de Diego Tardelli. Nesses poucos mais de quatro anos em que esteve no Galo, Neto Berola nunca conseguiu se firmar como titular: sempre foi um jogador de muitos altos e baixos, capaz de fazer belos gols, como aquele de voleio na vitória sobre o time colombiano do Santa Fé, como também protagonizar atuações abaixo da crítica. Por isso, nunca foi unanimidade entre a torcida atleticana. Além do mais, ele sempre teve nítidos problemas físicos, e se mostrou incapaz de aguentar os 90 minutos de jogo. Boa sorte para o atacante: que ele se dê bem seja lá para onde for. E que fique por lá! Avacoelhada Obina é melhor que Neymar, ao menos na versão cantada pela torcida americana. Mas, durante a Copa, os comentários sobre o desempenho de Fred é que se comparam à performance de Obina. A produtividade do centroavante depende diretamente das assistências recebidas: é ele quem as finaliza. Na conquista do acesso em 2010, Irênio comandou a criatividade no meio-de-campo, Luciano partiu para cima das defesas adversárias, “avacoelhando” geral, e Marcos Rocha foi tão constante no apoio que, de acordo com Ronne Franks, o lateral se destacou na função de atacante. Fábio Júnior marcou 19 gols na Série B e 13 no Mineiro de 2011. Depois, sem os cruzamentos certeiros da linha de fundo e os passes precisos dos armadores, o rendimento do artilheiro caiu. Obina e Fred também são dependentes das jogadas criadas pelos laterais e pelos articuladores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave