Negociações avançaram lentamente

iG Minas Gerais |

Após impasses e muitas reuniões, a categoria não conseguia entrar em acordo com a prefeitura no sentido de ter suas reivindicações atendidas. Por isso, na última terça-feira (10), a maioria dos cerca de 700 trabalhadores da educação de Contagem que compareceram à assembleia geral haviam decidido pela manutenção da greve – que teve início no dia 23 de abril.

Mas, em sua última proposta, o governo municipal ofereceu à categoria aumento de 5,8% (INPC) de imediato e antecipação de 1% de ganho real (em forma de abono), nos meses de outubro, novembro e dezembro.

Anteriormente, a Prefeitura Municipal de Contagem havia sinalizado que nem mesmo o INPC seria possível devido à Lei de Responsabilidade Fiscal, depois alegou que o pagamento dos 5,8% seria parcelado e só mais tarde assinalou com INPC integral e o ganho real de 1% seria pago apenas em 2015.

O vale alimentação terá um aumento de 10%, passando de R$180,00 para R$198,00 a partir de julho. Contudo, ainda se discute o pagamento em pecúnia. Da mesma forma, a prefeitura se comprometeu em estudar a viabilidade legal de oferecer o vale combustível como alternativa ao vale transporte.

O governo municipal também apontou a possibilidade de elevação do nível de progressão para 2,5% do Plano de Carreira para 2015, assim como a instalação da Comissão de Avaliação de Títulos a partir de julho, com elevação do padrão da carreira de 1,41% para 2% em 2014.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave