Invasores do Maracanã podem ser barrados em estádios do Chile

Federal pode aplicar lei nacional que proíbe excessos dos torcedores em estádios para punir os chilenos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Torcedores chilenos presos após confusão no Maracanã
ANDRÉ LUIZ MELLO/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO
Torcedores chilenos presos após confusão no Maracanã

O presidente da federação chilena de futebol, Sergio Jadue, anunciou nesta quinta-feira (19) que estuda implementar sanções contra os torcedores do Chile que invadiram o Maracanã, impondo a eles uma lei nacional que os impediria de ir a jogos no país.

"Não queremos essas pessoas em nossos estádios. Se isso implica em colocá-la lista dos direitos de admissão para que não retornem a nossos estádios, nós faremos", afirmou.

Ele se referia a uma lei nacional que pune os excessos dos torcedores nos estádios. No Chile também é proibido a entrada com tambores, bandeiras, fogos de artifício e sinalizadores.

Jadue condenou e lamentou os episódios de quarta-feira (18) no Maracanã, onde 85 torcedores chilenos que não tinham ingresso para assistir à partida entre Chile e Espanha invadiram o estádio pela sala de imprensa, causando tumulto e quebradeira.

"Esse fato logicamente deve ser condenado. Chamei hoje o secretário da Associação Nacional de Futebol Profissional para analisarmos as sanções que podemos aplicar no Chile a esses torcedores", afirmou Jadue em Belo Horizonte, onde a seleção chilena treina e está hospedada.

Jadue disse que a Fifa deverá abrir um processo contra a seleção chilena por esse episódio, como já abriu no caso de um torcedor chileno que na partida de estreia do Chile em Cuiabá, entrou e soltou um rojão no estádio.

Leia tudo sobre: ChilenosCopa do MundoinvasãomaracanãSérgio Jaduechile