Movimento Passe Livre faz passeata em São Paulo

O ato celebra o aniversário da revogação do aumento da passagem, ocorrido após as manifestações de junho de 2013

iG Minas Gerais | Da Redação |

Uma manifestação organizada pelo MPL (Movimento Passe Livre) começou uma passeata nesta quinta-feira (19) na avenida Paulista, em SP, e interdita a avenida Rebouças, sentido bairro. O protesto, que defende o fim da tarifa no transporte público e a readmissão dos 42 metroviários demitidos em meio à greve da categoria, começou a se concentrar às 15h, na praça do Ciclista.

O ato celebra o aniversário da revogação do aumento da passagem, ocorrido após as manifestações de junho de 2013. A PM estima cerca de 1.300 pessoas no local. O movimento espera reunir 5.000 pessoas e prepara shows de rappers e intervenções teatrais para o ato. Entre os ativistas há diversos mascarados, alguns munidos de escudos feitos com placas de madeira. Também há um grupo de índios com rostos pintados e munidos de arcos e flechas. Eles pedem a demarcação de terras indígenas.

Em manifesto distribuído aos presentes, o MPL comemora a redução das tarifas em 2013 e afirma que "agora só faltam R$ 3". O texto diz que, sem a cobrança da tarifa, haverá "acesso total" a "equipamentos, hospitais, escolas, parques" de SP. "Que os ricos, que se beneficiam do nosso trabalho, banquem os custos dessa estrutura [do transportes gratuito]."

"Hoje é um dia de conquista para o transporte público, para a população. Há exatamente um ano a tarifa foi reduzida, mas achamos que não é suficiente, pois, enquanto houver tarifa, o transporte não será verdadeiramente público", diz Marcelo Hotinsky, militante do MPL. "Entedemos que é uma questão de direitos, então não precisa haver uma explicação técnica. Seria um absurdo dizer que não há dinheiro para a educação pública, então se é um direito precisamos arranjar dinheiro pra isso."

Manifestantes usam fantasias ironizando o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o prefeito Fernando Haddad (PT) e montam brinquedos ironizando o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, e o secretário Estadual de Segurança Pública, Fernando Grella.

O grupo deve seguir pelas avenida Rebouças e Eusébio Matoso, rumo à marginal Pinheiros, onde pretende bloquear uma das vias expressas do sentido Osasco.