Marfinense desmente choro por morte do pai: 'emoção por jogar a Copa'

Serey Die disse que lágrimas foram por jogar Copa do Mundo e afirma que seu pai morreu há 10 anos, em 2004

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Pelo Instagram, Serey Die justificou lágrimas durante execução do hino nacional da Costa do Marfim, antes do jogo com a Colômbia
Reprodução/Instagram
Pelo Instagram, Serey Die justificou lágrimas durante execução do hino nacional da Costa do Marfim, antes do jogo com a Colômbia

A cena que chamou a atenção do mundo, o choro do volante da Costa do Marfim Serey Die durante a execução do hino marfinense minutos antes do jogo contra a Colômbia, nesta quinta-feira, teve um único motivo: emoção do atleta por jogar uma Copa do Mundo.

Ao contrário do que foi divulgado em todo o mundo, Die usou uma rede social para desmentir que suas lágrimas foram pela morte do pai horas antes de a Costa do Marfim perder por 2 a 1 para os colombianos.

“Olá, apenas quero dizer que é errado o que todos dizem, que me emocionei por causa do meu pai, porque ele morreu em 2004. Foi apenas a emoção por estar em uma Copa do Mundo e servir o meu país, a Costa do Marfim. Nunca pensei um dia estar nesse nível de competição”, disse Serey Die.

O volante, responsável pelo erro que culminou no segundo gol da Colômbia, aproveitou para se desculpar.

“Lamento pelo meu erro, peço desculpas por ter decepcionado vocês. Vou dar a volta por cima. Deus abençoe vocês”, concluiu.

Agora, a Costa do Marfim tem uma última chance para tentar avançar de fase. Enfrenta a Grécia, na próxima terça-feira, às 17h, no Castelão, em Fortaleza.

Leia tudo sobre: serey diecosta do marfimcolombia