Cada casa de resort da seleção alemã na Bahia tem um 'capitão'

Jogadores experientes são responsáveis por comandar local que conta com seis atletas hospedados

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

O diário alemão "Bild" divulgou como os jogadores da seleção alemã estão divididos em casas do Campo Bahia, o resort à beira-mar na vila de Santo André, Santa Cruz Cabrália (BA), escolhido pelo time como base para a Copa do Mundo. Segundo o tabloide, cada uma das quatro casas coletivas que abrigam os 23 atletas possui um "capitão". Os capitães -o volante Schweinsteiger, 29, o atacante Klose, 36, o zagueiro Mertesacker, 29, e o volante-lateral Lahm, 30- estão entre os jogadores mais experientes do elenco. O único mais velho que eles que não é responsável por uma casa é o goleiro reserva Weidenfeller, 33. A distribuição, de acordo com o "Bild", é a seguinte: Casa de Schweinsteiger: Grosskreutz, Höwedes, Draxler, Müller e Ginter. Casa de Klose : Weidenfeller, Götze, Schürrle, Kroos e Mustafi. Casa de Mertesacker: Podolski, Özil, Khedira, Boateng e Zieler. Casa de Lahm: Hummels, Neuer, Kramer e Durm. O "Bild" destacou no título da reportagem o fato de o meia e lateral Grosskreutz, do Borussia Dortmund, estar na mesma casa de Höwedes e Draxler, do arquirrival Schalke. Alem de jogador, Grosskreutz, conhecido por suas encrencas, é torcedor do Borussia Dortmund e costuma deixar clara sua antipatia pelo Schalke. HUMMELS O zagueiro Hummels, que deixou o campo machucado nos 4 a 0 contra Portugal, continua o tratamento de uma lesão na coxa direita e permanece como dúvida para a partida diante de Gana, neste sábado (21), em Fortaleza. Caso Hummels não possa atuar, Mustafi o substituirá, sendo mantida a linha com quatro zagueiros na defesa, uma inovação do técnico Joachim Löw para este Mundial. A comissão técnica descartou a possibilidade de Lahm deixar o meio-campo e voltar para a lateral direita. Boateng, que atuou pelo setor contra os portugueses -mais recuado do que um lateral convencional-, machucou o dedão no jogo de Salvador, mas enfrentará Gana, usando uma tala na mão direita. Durante entrevista coletiva nesta quinta, o zagueiro Mertesacker chamou a atenção para os riscos que o time terá contra Gana -será sua 100ª partida pela seleção alemã. "Os times africanos são muito robustos. Fisicamente, Gana é mais forte que Portugal, temos de ser taticamente espertos para evitar lances homem-a-homem", afirmou. O jogador do Arsenal comemorou o fato de o jogo ser realizado às 16h, e não às 13h, como contra Portugal. "O sol estará mais fraco, haverá mais sombra em campo, será bem mais fácil para nós."