"Febre amarela" da Colômbia toma conta de estádio de Brasília

Por todo canto que se olhe na entrada do estádio Mané Garrincha, em Brasília, torcedores da Colômbia fazem parecer que jogam em casa

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

No primeiro jogo da Copa no Mineirão, Colômbia venceu a Grécia por 3 a 0
LEO FONTES / O TEMPO
No primeiro jogo da Copa no Mineirão, Colômbia venceu a Grécia por 3 a 0

Por todo canto que se olhe na entrada do estádio Mané Garrincha, em Brasília, torcedores da Colômbia espalham a "febre amarela" e fazem parecer que jogam em casa.

A estimativa da embaixada é de 10 mil colombianos na arena. Mas a menos de duas horas da partida, no caminho até o estádio e nos portões, os colombianos parecem ser a maioria na partida - e certamente são os mais barulhentos. Eles contam ainda com o apoio de brasileiros com a camisa da seleção, que engrossam a massa amarela que tomou conta do Mané Garrincha.

A depender do portão, é até difícil encontrar camisas do Brasil entre as centenas da Colômbia. Luís Alejandro Pena, colombiano que mora há quatro anos na cidade, disse que nunca viu nada igual no Brasil. "Até ano passado, era uma alegria encontrar um colombiano. Agora olho para qualquer lugar e tem um colombiano. Brasília virou uma Bogotá, só que mais quente", afirmou.

No estádio, os colombianos certamente deverão contar com o apoio de brasileiros como Wiemer Silva. "Acabei de postar uma foto no Facebook falando da Brasília colombiana. É uma invasão e não tem como não torcer pela Colômbia", contou.Na véspera da partida, o técnico José Pekerman admitia que, assim como no jogo em Belo Horizonte, contava com o apoio dos torcedores para jogar em casa.

Na manhã desta quinta-feira, em Brasília, o presidente da Colômbia Juan Manuel Santos quebrou o protocolo e, após uma entrevista, encontrou-se com um grupo de torcedores. Parou para fazer foto e até levantou a taça. O presidente, claro, irá ao estádio.

Leia tudo sobre: COPA DO MUNDO