Promotor de combate ao crime organizado pode ter sido vítima de ataque

Ele já teve o carro incendiado no fim do ano passado e quase morreu assassinado quando um homem tentou atirar nele e na mulher; desta vez, uma pessoa encapuzada atirou contra o prédio em que ele mora

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Promotor que pediu prisão teve o carro incendiado em atentado
GUSTAVO BAXTER
Promotor que pediu prisão teve o carro incendiado em atentado

Um promotor de Justiça da Vara de Combate ao Crime Organizado pode estar sendo vítima de ataques. Na noite dessa quarta-feira (18) o prédio onde André Luíz García de Pinho mora, no bairro Buritis, região Oeste de Belo Horizonte, foi atingido por disparos de arma de fogo, que partiram da arma de uma pessoa que passou pelo local com um um capuz cobrindo o rosto. O promotor já foi vítima de atentados em pelo menos outras duas ocasiões.

Segundo a Polícia Militar (PM), o síndico do prédio chamou os militares após ouvir três disparos por volta de 22h30. Foi constatado que apenas um dos disparos atingiu a fachada do prédio, quebrando parte do vidro. Pelas câmeras de segurança, foi possível ver uma pessoa que usava um moletom com capuz, cobrindo o rosto, e passava pela rua Ernani Agrícola, onde fica o edifício. Ela colocou a mão na mochila que levava em determinado momento e, em seguida, foi possível ver os estilhaços do vidro. A PM informou que ainda não foi possível identificar nem o sexo do suspeito pelas imagens.

O promotor foi vítima de um atentado no fim do ano passado, quando teve o carro incendiado na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Na época, ele disse suspeitar que o ataque havia partido do líder de uma quadrilha preso na Penitenciária Nelson Hungria. Em outra ocasião, um atirador disparou contra ele e a mulher, mas ninguém ficou ferido. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave