Belo Horizonte será “mi Buenos Aires querida”

iG Minas Gerais | Bernardo Miranda |

Fora ingleses.O casal argentino Ana Luz Guzman e Emanuel Fuentes toleram o Brasil e chegaram a comprar uma camisa da seleção canarinho, mas nunca fariam o mesmo com a rival Inglaterra
Mariela Guimarães
Fora ingleses.O casal argentino Ana Luz Guzman e Emanuel Fuentes toleram o Brasil e chegaram a comprar uma camisa da seleção canarinho, mas nunca fariam o mesmo com a rival Inglaterra

Os argentinos começam a chegar timidamente a Belo Horizonte, mas não se enganem, vai haver uma “invasão” portenha à capital mineira, talvez maior do que a realizada pelos colombianos no jogo de estreia do Mineirão na competição. A Belotur estima que 25 mil argentinos venham para a capital mineira para o jogo de sábado, quando nossos hermanos enfrentam o Irã, pela segunda rodada do grupo F. Somente pela rodoviária devem chegar 15 mil argentinos, que ainda estão curtindo as praias do Rio de Janeiro após a vitória da Argentina por 2 a 1 sobre a Bósnia, no Maracanã.

O argentino Fernando Gomez chegou nessa quarta à capital mineira e passeava pela Savassi com outros cinco amigos. Ele estava no Rio e falou para a cidade se preparar. “Vamos lotar Belo Horizonte. A partir desta sexta já vamos preencher todos os cantos dessa praça. No Rio, fizemos uma festa enorme, e a maioria ainda está lá, mas eles vão chegar para continuar seguindo a futura campeã”, disse.

Alguns argentinos que já estavam na cidade se preparavam para conhecer um novo destino. Foi o caso de Franco Salvemini, que achou a capital mineira muito agitada e decidiu ir conhecer Brasília antes do jogo de sábado. “Aqui é uma cidade maior, mais agitada, parecida com Buenos Aires. Decidimos ir conhecer a capital federal, que é uma cidade mais pacata e tranquila. Porém, voltamos a tempo de assistir ao jogo contra o Irã”, afirma.

A maioria dos turistas argentinos deve chegar a Belo Horizonte a partir da próxima sexta-feira, tanto na rodoviária como no aeroporto de Confins. Os ônibus que chegam do Rio de Janeiro nesse dia estarão recheados de torcedores da seleção portenha. Uma base do consulado argentino será montada no terminal para atender e orientar os turistas. Voluntários da Fifa também estarão a postos no local distribuindo guias sobre o que fazer em Belo Horizonte e mapas, tudo em espanhol.

Muitos dos argentinos não ficarão em hotéis e irão acampar em clubes da cidade. No Rio de Janeiro, eles fizeram da praia de Copacabana sua área de camping.

Rivais podem se encontrar Rivais no futebol e na política, argentinos e ingleses podem se encontrar em Belo Horizonte. Enquanto os torcedores da albiceleste estarão na capital para o jogo contra o Irã, no sábado, os britânicos já começarão a chegar para partida da próxima terça-feira contra a Costa Rica. Além da rivalidade, os dois países têm histórico de torcidas violentas. Os hooligans, por parte da Inglaterra, e os barra bravas, no caso da Argentina. Embora não acredite em um confronto, o argentino Emanuel Fuentes pondera que a rivalidade com os ingleses é maior do que a com brasileiros. “Comprei uma camisa do Brasil, mas nunca compraria uma da Inglaterra. Nossa rivalidade vai além do futebol. Mas não teremos problemas se não houver desrespeito”, analisou. Já outro argentino, Nelson Marcelo, não vê risco de problemas. “Convivemos com ingleses no Rio e não houve problema. Inclusive, tenho ingressos para o jogo da Inglaterra”, disse.

Polícia atenta A Polícia Militar informou que estará com efetivo em todos os pontos onde há possibilidade de encontro de torcedores, como na Savassi e no aeroporto. Além disso, os agentes estão orientados a agir em qualquer sinal de confronto entre rivais, independentemente de que nacionalidade sejam.

Festa portenha Uma cervejaria argentina vai realizar uma grande festa para receber os torcedores da albiceleste em Belo Horizonte. O evento está sendo realizado em todas as cidades onde a Argentina joga, e aqui está marcado para as 10h do próximo sábado, na av. Otacílio Negrão de Lima, 768, Pampulha.

Torcida australiana A Austrália não joga em Belo Horizonte, mas vários australianos escolheram a capital mineira para acompanhar a Copa. John Holz vai assistir a todos os jogos no Mineirão e nessa quarta viu sua seleção perder para a Holanda na Savassi. “Vai ser 3 a 2 para Austrália”, disse. Acertou o placar, mas errou o vencedor.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave