Demanda para táxi, ônibus e comércio

iG Minas Gerais | Thais Pimentel |

Turistas que vêm acompanhar os jogos da Copa do Mundo em Belo Horizonte estão preferindo utilizar o transporte coletivo e os táxis para se deslocar na cidade. Essa seria uma das razões para explicar a baixa procura por aluguéis de carros. “A expectativa era de 15% a 20% de crescimento na procura, em relação ao mesmo período do ano passado. Isso não está se realizando. Até tivemos uma queda”, disse o gerente de marketing da agência Localiza, Herbert Viana.  

De acordo com a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), muitos torcedores têm usado o Expresso Copa – serviço que conta com 220 ônibus convencionais, com partidas de cinco pontos da cidade – e o Move, cujas linhas troncais 50, 51 e 52, além da diametral 5106, passam pela avenida Antônio Carlos. O órgão deve divulgar, em breve, dados sobre a utilização do transporte público por parte dos turistas.

Comércio em alta. O comércio de BH não tem o que reclamar. “Estamos super felizes, percebemos que a Copa realmente trouxe benefícios. Recebemos muitos belgas, argelinos e colombianos, e agora a expectativa é com os argentinos”, disse Carolina Vaz, gerente de marketing do Shopping Cidade.

Segundo ela, os estrangeiros estão consumindo, movimentando as agências de turismo, as praças de alimentação e comprando de tudo. “O movimento cresceu 10%, o que representa 8.000 pessoas novas por dia. Estamos surpresos. Nós tínhamos usado como base a Copa das Confederações, que agregou bem pouco, mas agora vemos que Copa do Mundo é Copa do Mundo”, completou. 

Gastos

Só no plástico. Turistas estrangeiros gastaram mais de US$ 27 milhões com cartões de crédito, na primeira semana da Copa do Mundo, de acordo com relatório divulgado pela operadora Visa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave