Protesto ameaça paz no Brasil

Estudo internacional faz registro do clima de insatisfação política que assola o país

iG Minas Gerais | Flávia Denise |

Quem já viu de perto uma manifestação que acabou em quebradeira sabe bem que o protesto violento é uma ameaça. Mas, agora, um ranking internacional de paz no mundo está deixando claro que as manifestações violentas e a imposição de ideais políticos estão danificando a paz no Brasil.  

De acordo com o relatório Global Peace Index (GPI) de 2014 do Institute for Economics and Peace, o Brasil caiu cinco posições no ranking dos países mais pacíficos do mundo em relação a 2013. O estudo chegou a essa conclusão após analisar 22 indicadores de violência, que vão da “insatisfação política” a “exportação de armas”, passando pela “população prisional”.

Comparando 2014 com 2013, três indicadores apresentaram mudança. “Violência política” e “manifestações violentas” tiveram uma nota pior. O item “polícia e oficiais de segurança” apresentou melhora após um aumento no número de policiais no país. O Brasil ficou em 91º lugar no ranking de 2014 e em 86º em 2013.

MUNDO. Não é só o Brasil que está ficando menos pacífico. A paz mundial está em deterioração contínua. Após o mundo viver 60 anos em que a violência diminuiu de forma consistente, o momento agora – e nos últimos sete anos – é de degradação da paz. Essa é a principal observação do instituto responsável pelo relatório.

As atividades terroristas, o número de conflitos em andamento, o número de refugiados e de pessoas deslocadas de guerra foram os principais contribuintes para a deterioração contínua da paz mundial no ano passado, segundo o estudo. A guerra civil na Síria, que fez com que o país substituísse o Afeganistão como o menos pacífico do mundo, também contribuiu para criar o cenário desolador.

O que é?

Violência política. O termo é usado quando um grupo (que pode ou não ser o governo) decide impor seus ideais. Isso inclui inação do governo.

Brasil é 4º exportador de armas de pequeno porte O Small Arms Survey 2014, publicado nessa quarta, chama atenção para uma faceta do Brasil que não é muito falada: a de grande exportador de armas. De acordo com o estudo do Graduate Institute of International and Development Studies, o Brasil foi o quarto maior exportador de armas ligeiras e de pequeno calibre do mundo em 2011. Ao menos US$ 100 milhões em armas teriam saído do país. Em ordem decrescente, os principais exportadores são: Estados Unidos, Itália, Alemanha, Brasil, Austrália, Suíça, Israel, Federação Russa, Coreia do Sul, Bélgica, China, Turquia, Espanha e República Tcheca.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave